Publicidade

Publicidade

21/10/2009 - 15:31

Microsoft lança Windows 7 em SP

Compartilhe: Twitter

A Microsoft anunciou nesta tarde de quarta-feira em São Paulo o lançamento do Windows 7. Após três anos de desenvolvimento, e de ser testado por 8 milhões de usuários em 113 países, o sistema chega às lojas a partir da meia-noite, em 4 mil pontos de venda em todo o país.

Segundo Darren Huston, vice-presidente corporativo de produtos online e para o consumidor da Microsoft, um dos pontos mais importantes no Windows 7 foi que a empresa ouviu as sugestões dos usuários. “Deixem as coisas mais simples”, “quero um PC que não falhe” e “quero fazer mais coisas com meu PC, mas elas precisam ser mais fáceis” foram alguns dos pedidos, o que levou a Microsoft a focar na experiência do usuário e definir o slogan do sistema como “Incrivelmente simples”.

Leia no iG Tecnologia
» Veja o que há de novo no Windows 7
» Tire suas dúvidas sobre o Windows 7
» Análise: Com 7, Microsoft simplifica o Windows

»
10 Máquinas com o Windows 7 pré-instalado

Mas o Windows 7 também é o “melhor sistema operacional para negócios”, diz o executivo, graças a mudanças como tempo de boot mais rápido, busca universal em documentos espalhados por todo o PC, conexão mais fácil a hotspots e melhor criptografia de dados.

O sistema também possibilita a adoção de novas tecnologias, como telas multi-toque e notebooks incrivelmente finos, equipados com discos de estado sólido e baixíssimo consumo de energia, que levarão a novos formatos para os PCs do dia-a-dia.

Versões e preço

Dentre as versões do Windows que chegarão às lojas, a mais barata é a Home Basic, a ser comercializada por R$ 329, e indicada para PCs de mercados emergentes com acesso à internet e recursos básicos de produtividade. A versão Home Premium é indicada pela Microsoft como padrão para o consumidor final com novo hardware e maiores recursos de conectividade. Será vendida por R$ 399.

Com foco em pequenas e médias empresas, o Windows 7 Professional traz mais recursos de conectividade e ferramentas de segurança e backup, e vai custar R$ 629. Traz ferramentas como criptografia de disco, acesso remoto ao desktop e o “Modo Windows XP”, que resolve problemas com programas incompatíveis com o Windows 7 rodando-os dentro de um “Windows XP Virtual”.

A versão mais cara do 7 é a Ultimate, que sairá por R$ 669, voltada a entusiastas de tecnologia e engloba todos os recursos de todas as outras versões do sistema operacional. Usuário do Windows 7 Professional e Windows 7 Home Premium poderão fazer um “upgrade” para a versão Ultimate usando o sistema “Windows Anytime Upgrade”.

Ênfase no original

O Windows 7 tem novos mecanismos de validação e ativação, projetados para verificar a autenticidade do sistema operacional e impedir o uso e disseminação de cópias piratas. Entre eles, novos mecanismos para impedir o uso de chaves de ativação vindas de contratos de licença em grande volume e de “cracks” que burlem o sistema de ativação.

Quem tem o Windows original tem vantagens, como o acesso gratuito ao Microsoft Security Essentials, um conjunto de ferramentas de segurança, que inclui anti-vírus e anti-spyware.

O Windows 7 estará disponível em quatro mil pontos de venda em todo o Brasil, a partir das 00:00 de 22 de Outubro. Além da versão avulsa, o sistema também será comercializado em PCs de diversos fabricantes. Segundo Osvaldo Barbosa, da Microsoft, já há 148 modelos no mercado nacional certificados para rodar o novo sistema.

Autor: - Categoria(s): evento, software Tags: , , , ,
06/10/2009 - 10:56

Microsoft lança “Windows Phone” no Brasil

Compartilhe: Twitter

Tela inicial do Windows Mobile 6.5A Microsoft anunciou nesta terça-feira em São Paulo o lançamento mundial da plataforma Windows Phone. Não se trata de um “telefone da Microsoft”, mas sim de um conceito que se aplica à combinação de um smartphone com o sistema operacional Windows Mobile, mais os novos serviços da Microsoft: Windows Marketplace for Mobile e Microsoft My Phone.

O Windows Phone é baseado no sistema operacional Windows Mobile 6.5, que tem uma interface com o usuário otimizada para operação com os dedos em telas sensíveis ao toque, que lembra um pouco o media player Zune, também da Microsoft. O navegador Internet Explorer agora tem suporte ao Adobe Flash Lite, e o aplicativo Windows Live permite integração a redes sociais, como envio de fotos para o Twitter, Facebook, My Space e Flickr. Além disso há os tradicionais aplicativos de todo aparelho Windows, como uma versão móvel do Microsoft Office.

Um dos principais destaques é o Windows Marketplace for Mobile, uma loja de aplicativos para os aparelhos baseada na plataforma Windows Phone, similar à loja de aplicativos da Apple. O catálogo de aplicativos incluirá programas gratuitos e pagos, com cobrança via cartão de crédito ou direto na fatura de telefonia.

Segundo Celso Winik, da Microsoft, já há desenvolvedores trabalhando em aplicativos nacionais.  Os primeiros são um sistema de “home banking” do Bradesco e um aplicativo de mapas, com informações de trânsito em tempo real, da Maplink.

Já o Microsoft My Phone é um utilitário que permite o backup online de contatos, mensagens, fotos e música armazenados em seu aparelho na internet. O usuário pode escolher o que sincronizar, e com que frequência, e em caso de perda do aparelho ainda poderá acessar suas informações online ou restaurá-las para um outro smartphone.

Os primeiros “Windows Phones” a chegar ao mercado nacional serão o Samsung Omnia II, LG Sm@rt e o HTC Touch 2, ambos comercializados pela TIM. Os preços estarão entre R$ 1.200 e R$ 2.000, segundo executivos da operadora, em plano pré-pago. Os aparelhos estarão disponíveis nas lojas a partir de Novembro.

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , , , , ,
17/02/2009 - 19:06

Que Windows é esse?

Compartilhe: Twitter

Seven XPÉ uma tradição desde os tempos longínquos do Windows 95: sempre que a Microsoft lança uma nova versão do Windows, boa parte da curiosidade do público gira em torno não dos novos recursos que o sistema trará, mas de sua aparência. E inevitavelmente a comunidade de entusiastas do “deskmod”, como é chamada a prática de modificação da aparência do desktop, entra em cena e logo surge um kit para deixar seu Windows “velho” com cheirinho de novo.

A princípio, tais kits eram bem simples: um punhado de papéis de parede, sons, fontes e ícones, nada mais. Lembro-me que antes do lançamento do Windows 98 já circulava pela internet um pacote do gênero, que tinha também um programinha que modificava a aparência da barra de título das janelas: saía a cor sólida do Windows 95, entrava em seu lugar a barra de título em degradê do 98. Era o máximo.

Hoje em dia as mudanças são muito mais radicais. Um dos kits de transformação para o XP, batizado de “Vista Transformation Pack“, dá a ele recursos “exclusivos” do Vista, como janelas semitransparentes, um novo alternador de tarefas (aquele efeito de janelas empilhadas que surge quando teclamos Windows+Tab), menu iniciar com busca (que funciona tão bem quanto a do XP) e Gadgets, aqueles mini-aplicativos que vivem em uma barra na lateral direita da tela. A mudança é tão completa que, de relance, é impossível distinguir um XP “transformado” de um Vista de verdade. O programa é gratuito, mas sua instalação requer algum cuidado. Basta seguir atentamente as instruções (em inglês) na tela e tudo correrá bem.

Mas se você acha que o Windows Vista é “passado” e quer dar o próximo passo, a solução é o Seven Remix XP, um pacote de transformação também gratuito desenvolvido pela “Niwradsoft” que deixa seu Windows XP com um pouco da aparência do futuro Windows 7.

O kit muda papel de parede, estilo das janelas, sons, ícones, menu iniciar e proteção de tela, mas não adiciona recursos como a nova barra de tarefas (com seus botões quadrados, agrupamentos e outras firulas), o “Window Peek” (a capacidade de tornar todas as janelas transparentes, revelando o desktop atrás delas) e as Jump Lists (listas de ações para cada aplicativo ou janela aberta). Ainda assim, é uma mudança visualmente agradável e com um resultado próximo do que veremos no novo Windows quando ele chegar às prateleiras no fim do ano.

LeopardXP BrixopackE se você não gosta nem do visual do XP, nem do Vista, nem do Windows 7, que tal algo ainda mais diferente? O LeopardXP Bricopack deixa seu Windows XP com a cara e jeitão do Mac OS X Leopard, a versão mais recente do sistema operacional da Apple. Seu PC não vai ganhar recursos legais como os backups via Time Machine, iLife ou a imunidade à maioria dos vírus e pragas virtuais que circulam por aí, mas já dá pra sentir um gostinho de como é a vida do lado da maçã. Pelo menos Safari e iTunes são gratuitos.

Claro que suas opções não se limitam aos pacotes que mencionei. Com um utilitário como o Uxtheme Multi-patcher 6.0 um mundo de oportunidades se abre, e você pode usar qualquer um dos milhares de temas para Windows XP disponíveis em sites como o deviantART. A categoria Visual Styles, onde ficam os temas, tem opções para todos os gostos.

Autor: - Categoria(s): software Tags: , , , , , , , ,
11/11/2008 - 14:45

Clonando o Windows

Compartilhe: Twitter

Ame-o ou não, o Windows completou 25 anos ontem, dia 10 de novembro. 25 anos de “anúncio”, veja bem, porque junto com o sistema nasceu a tradição da Microsoft de furar datas de lançamento: o produto só chegou às lojas dois anos depois, em novembro de 1985. Curiosamente era a versão 1.01, o que iniciou também outra tradição: lançar correções para um produto simultâneamente com sua chegada às lojas. Neste caso, a correção já veio embutida :)

Mas você sabiam que existe um outro “Windows”, que não é desenvolvido pela Microsoft, tem seu código-fonte aberto (ou seja, é “Open Source”) e é gratuito? Claro, por motivos legais ele não pode se chamar Windows já que o nome é marca registrada da Microsoft. Seu nome, portanto, é ReactOS.

A idéia do projeto é criar um sistema operacional baseado na mesma arquitetura do Windows NT (que é a base para o Windows XP), com compatibilidade com os aplicativos e drivers já existentes. O sistema ainda está em desenvolvimento, mas já roda aplicativos como o Firefox e OpenOffice.org, por exemplo, e até mesmo alguns games como a primeira versão de Unreal Tournament, embora a compatibilidade no geral ainda seja limitada. O site tem um “guia de compatibilidade” que lista os aplicativos testados pelos usuários e dá notas (de 1 a 5) de acordo com o quão bem eles rodam.

O ReactOS ainda está na versão 0.3.7, um alpha, ou seja, com recursos incompletos e não pronto para uso no dia-a-dia. No site, é possível baixar um LiveCD (para rodar o sistema direto de um CD sem instalar nada no micro), CD de instalação (para instalar o ReactOS no PC), e imagens para rodar o sistema em uma máquina virtual (como o VMWare ou QEMU) dentro do Windows, Mac OS ou Linux, além do código fonte. Se você gosta de experimentar novidades, é um prato cheio!

ReactOS 0.3.0

E pra completar: quer ver “fotos” de todas as versões do Windows, desde a 1.01 até o Vista? Então corra para o site GUIdebook – Graphical User Interface Gallery. Além de imagens do sistema da Microsoft, você vai encontrar screenshots de praticamente todos os outros sistemas e interfaces gráficas já lançados, do OS/2 ao Mac OS X. Imperdível para quem aprecia a história da informática.

Autor: - Categoria(s): software Tags: , , ,
21/10/2008 - 01:09

Samsung Omnia chega para bater o iPhone

Compartilhe: Twitter

Samsung OmniaiPhone, prepare-se: seu primeiro concorrente à altura está desembarcando no mercado nacional. Rapidamente apelidado de “iPhone com Windows” pelos jornalistas presentes ao lançamento nesta segunda em São Paulo (para desgosto do pessoal da Samsung), o Samsung SGH-i900 Omnia é um smartphone com tela sensível ao toque capaz de fazer a maioria dos truques que o aparelho da Apple faz, só que com hardware mais potente. E, ao contrário de outros modelos que já circulam por aí, faz bom uso da tela sensível ao toque, mostrando que pode competir não só no quesito “força bruta”, mas também no que é mais importante: a “experiência” do usuário e a facilidade de uso.

O que se segue é um breve relato de minha experiência de cerca de meia hora com o aparelho. Não é um review (que deve acontecer em breve, lá no iG), mas apenas um apanhado das “anotações mentais” que fiz durante o uso. Resumindo em uma palavra: gostei.

A lista de recursos é impressionante, com tela sensível ao toque de 3.2 polegadas com resolução “widescreen” de 240 x 400 pixels, câmera de 5 megapixels com flash, gravação de vídeos com resolução VGA, GPS, Wi-Fi, Rádio FM, Bluetooth e 8 GB de memória interna, só para citar apenas alguns no campo do hardware.

Algumas coisas são curiosas: um botão centralizado logo abaixo da tela funciona como um “mouse“. Sim, mouse, com direito a setinha e tudo o mais. O funcionamento é similar aos mouses “trackpoint” dos notebooks Thinkpad. A câmera tem detecção de faces, “geotagging” (marcação das fotos com as coordenadas geográficas do local onde foram tiradas) e um recurso que está se tornando comum em modelos domésticos, o chamado “Smile Shot“: ela dispara automaticamente quando uma pessoa sorri.

O sistema operacional é o Windows Mobile 6.1, adaptado para funcionar melhor em um sistema com tela sensível ao toque. A tela principal, por exemplo, é um desktop com uma lista de widgets na lateral esquerda. Com um movimento dos dedos, é possível arrastar widgets da lista para o desktop (onde eles “crescem” para o tamanho normal) e personalizá-lo a seu gosto com relógios, listas de mensagens, notícias, previsão do tempo, media players e afins. 

Um Opera otimizado para a tela sensível ao toque, substitui o já cansado “Pocket IE” típico dos aparelhos com Windows Mobile no papel de navegador web. A compatibilidade com sites (testei uma meia dúzia) é boa, e ele é capaz dos mesmos truques do Safari no iPhone: dois cliques para “dar zoom” em uma seção da página, passadas com os dedos sobre a tela para rolar a página, mudança automática de modo (retrato ou paisagem) quando o aparelho muda de posição (de pé ou deitado) e tudo o mais.

Durante o uso, o Omnia me pareceu bastante ágil, com uma interface que reage rápida e precisamente aos toques na tela. A Samsung adotou o recurso, já usado por outros fabricantes, de “haptics”, ou seja, uma resposta tátil (no caso, uma vibração do aparelho) usada para confirmar um comando. Por duas vezes, o navegador deixou de rotacionar automaticamente a página quando deitei a tela, talvez porque fiz um movimento suave demais.

Algumas coisas não me pareceram legais. Apesar da interface da Samsung ser boa, a original do Windows Mobile, totalmente inadequada para uso com os dedos, ainda está lá, visível se você fuçar “a fundo” o suficiente nos menus. O teclado virtual tem teclas pequenas demais no modo retrato, e alguns botões, como o X para fechar os programas, são menores ainda. Talvez ciente disto, a Samsung inclui com o Omnia uma caneta, o que pode ser confuso e deixar o usuário sem saber com qual instrumento (dedo ou caneta) interagir.

O Samsung SGH-i900 “Omnia” deve chegar ao mercado nacional em breve, com preço sugerido pelo fabricante (sem subsídios) de R$ 1.799. Espere encontrá-lo em sua operadora favorita (ele estará disponível para todas as operadoras, segundo a Samsung) por um preço menor, e provavelmente bastante competitivo com o aparelho da Apple. Peguem sua pipoca, porque a briga começou :)

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , , , , , , , ,
16/10/2008 - 14:34

LG também tem Netbook

Compartilhe: Twitter

Em evento hoje no planetário do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, a LG apresentou sua linha de notebooks para o “final de 2008”. Dentre os vários modelos anunciados, entre eles máquinas de alto desempenho como o S510 (equipado com 3 GB de RAM, placa 3D GeForce 9300M GS com 256 MB e processador Intel Core 2 Duo P8400 de 2.2 GHz), o mais interessante, na minha opinião, foi um netbook ainda sem nome que deve chegar ao mercado no final deste ano. Com isso, a LG se junta à Positivo, CCE, IntelBrás e ASUS no rol das empresas que apostam nos ultraportáteis no mercado nacional.

A configuração é típica da safra atual de netbooks, com processador Intel Atom N270 de 1.6 GHz, 1 GB de RAM, HD de 160 GB, webcam de 1.3 MP, Bluetooth, Wi-Fi 802.11 b/g, leitor de cartões e uma tela LCD de 10 polegadas com resolução de 1024 x 600 pixels. Tudo isso rodando o Windows XP Home, com autonomia de bateria estimada em três horas e meia. Por isso, e pelas fotos abaixo, deduzo que ele usa uma bateria “standard” de três células, e não o modelo extendido de seis células que acompanha o Mobo White.

O hardware, e até mesmo a aparência externa, são muito parecidos com o MSI Wind, que também é a base para os atuais Mobo White da Positivo. Isto não é um pecado, e na verdade é até muito comum: uma empresa projeta uma máquina e licencia o design a outros fabricantes, que o montam “como está” ou adicionam características próprias ao hardware original antes de levá-lo ao mercado.

Segundo a LG, o netbook deve começar a aparecer nas lojas, em quantidades limitadas, a tempo das compras de Natal, com produção “em volume” (já na fábrica da empresa em Taubaté, no interior de São Paulo) prevista para o início de 2009. O preço estimado, é de RS 1.599.

Fiquem a seguir com seis fotos (e um vídeo) da nova máquina. 

Autor: - Categoria(s): evento, hardware, noticia Tags: , , , , , , ,
Voltar ao topo