Publicidade

Publicidade

21/10/2009 - 15:31

Microsoft lança Windows 7 em SP

Compartilhe: Twitter

A Microsoft anunciou nesta tarde de quarta-feira em São Paulo o lançamento do Windows 7. Após três anos de desenvolvimento, e de ser testado por 8 milhões de usuários em 113 países, o sistema chega às lojas a partir da meia-noite, em 4 mil pontos de venda em todo o país.

Segundo Darren Huston, vice-presidente corporativo de produtos online e para o consumidor da Microsoft, um dos pontos mais importantes no Windows 7 foi que a empresa ouviu as sugestões dos usuários. “Deixem as coisas mais simples”, “quero um PC que não falhe” e “quero fazer mais coisas com meu PC, mas elas precisam ser mais fáceis” foram alguns dos pedidos, o que levou a Microsoft a focar na experiência do usuário e definir o slogan do sistema como “Incrivelmente simples”.

Leia no iG Tecnologia
» Veja o que há de novo no Windows 7
» Tire suas dúvidas sobre o Windows 7
» Análise: Com 7, Microsoft simplifica o Windows

»
10 Máquinas com o Windows 7 pré-instalado

Mas o Windows 7 também é o “melhor sistema operacional para negócios”, diz o executivo, graças a mudanças como tempo de boot mais rápido, busca universal em documentos espalhados por todo o PC, conexão mais fácil a hotspots e melhor criptografia de dados.

O sistema também possibilita a adoção de novas tecnologias, como telas multi-toque e notebooks incrivelmente finos, equipados com discos de estado sólido e baixíssimo consumo de energia, que levarão a novos formatos para os PCs do dia-a-dia.

Versões e preço

Dentre as versões do Windows que chegarão às lojas, a mais barata é a Home Basic, a ser comercializada por R$ 329, e indicada para PCs de mercados emergentes com acesso à internet e recursos básicos de produtividade. A versão Home Premium é indicada pela Microsoft como padrão para o consumidor final com novo hardware e maiores recursos de conectividade. Será vendida por R$ 399.

Com foco em pequenas e médias empresas, o Windows 7 Professional traz mais recursos de conectividade e ferramentas de segurança e backup, e vai custar R$ 629. Traz ferramentas como criptografia de disco, acesso remoto ao desktop e o “Modo Windows XP”, que resolve problemas com programas incompatíveis com o Windows 7 rodando-os dentro de um “Windows XP Virtual”.

A versão mais cara do 7 é a Ultimate, que sairá por R$ 669, voltada a entusiastas de tecnologia e engloba todos os recursos de todas as outras versões do sistema operacional. Usuário do Windows 7 Professional e Windows 7 Home Premium poderão fazer um “upgrade” para a versão Ultimate usando o sistema “Windows Anytime Upgrade”.

Ênfase no original

O Windows 7 tem novos mecanismos de validação e ativação, projetados para verificar a autenticidade do sistema operacional e impedir o uso e disseminação de cópias piratas. Entre eles, novos mecanismos para impedir o uso de chaves de ativação vindas de contratos de licença em grande volume e de “cracks” que burlem o sistema de ativação.

Quem tem o Windows original tem vantagens, como o acesso gratuito ao Microsoft Security Essentials, um conjunto de ferramentas de segurança, que inclui anti-vírus e anti-spyware.

O Windows 7 estará disponível em quatro mil pontos de venda em todo o Brasil, a partir das 00:00 de 22 de Outubro. Além da versão avulsa, o sistema também será comercializado em PCs de diversos fabricantes. Segundo Osvaldo Barbosa, da Microsoft, já há 148 modelos no mercado nacional certificados para rodar o novo sistema.

Autor: - Categoria(s): evento, software Tags: , , , ,
06/10/2009 - 10:56

Microsoft lança “Windows Phone” no Brasil

Compartilhe: Twitter

Tela inicial do Windows Mobile 6.5A Microsoft anunciou nesta terça-feira em São Paulo o lançamento mundial da plataforma Windows Phone. Não se trata de um “telefone da Microsoft”, mas sim de um conceito que se aplica à combinação de um smartphone com o sistema operacional Windows Mobile, mais os novos serviços da Microsoft: Windows Marketplace for Mobile e Microsoft My Phone.

O Windows Phone é baseado no sistema operacional Windows Mobile 6.5, que tem uma interface com o usuário otimizada para operação com os dedos em telas sensíveis ao toque, que lembra um pouco o media player Zune, também da Microsoft. O navegador Internet Explorer agora tem suporte ao Adobe Flash Lite, e o aplicativo Windows Live permite integração a redes sociais, como envio de fotos para o Twitter, Facebook, My Space e Flickr. Além disso há os tradicionais aplicativos de todo aparelho Windows, como uma versão móvel do Microsoft Office.

Um dos principais destaques é o Windows Marketplace for Mobile, uma loja de aplicativos para os aparelhos baseada na plataforma Windows Phone, similar à loja de aplicativos da Apple. O catálogo de aplicativos incluirá programas gratuitos e pagos, com cobrança via cartão de crédito ou direto na fatura de telefonia.

Segundo Celso Winik, da Microsoft, já há desenvolvedores trabalhando em aplicativos nacionais.  Os primeiros são um sistema de “home banking” do Bradesco e um aplicativo de mapas, com informações de trânsito em tempo real, da Maplink.

Já o Microsoft My Phone é um utilitário que permite o backup online de contatos, mensagens, fotos e música armazenados em seu aparelho na internet. O usuário pode escolher o que sincronizar, e com que frequência, e em caso de perda do aparelho ainda poderá acessar suas informações online ou restaurá-las para um outro smartphone.

Os primeiros “Windows Phones” a chegar ao mercado nacional serão o Samsung Omnia II, LG Sm@rt e o HTC Touch 2, ambos comercializados pela TIM. Os preços estarão entre R$ 1.200 e R$ 2.000, segundo executivos da operadora, em plano pré-pago. Os aparelhos estarão disponíveis nas lojas a partir de Novembro.

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , , , , ,
21/10/2008 - 01:09

Samsung Omnia chega para bater o iPhone

Compartilhe: Twitter

Samsung OmniaiPhone, prepare-se: seu primeiro concorrente à altura está desembarcando no mercado nacional. Rapidamente apelidado de “iPhone com Windows” pelos jornalistas presentes ao lançamento nesta segunda em São Paulo (para desgosto do pessoal da Samsung), o Samsung SGH-i900 Omnia é um smartphone com tela sensível ao toque capaz de fazer a maioria dos truques que o aparelho da Apple faz, só que com hardware mais potente. E, ao contrário de outros modelos que já circulam por aí, faz bom uso da tela sensível ao toque, mostrando que pode competir não só no quesito “força bruta”, mas também no que é mais importante: a “experiência” do usuário e a facilidade de uso.

O que se segue é um breve relato de minha experiência de cerca de meia hora com o aparelho. Não é um review (que deve acontecer em breve, lá no iG), mas apenas um apanhado das “anotações mentais” que fiz durante o uso. Resumindo em uma palavra: gostei.

A lista de recursos é impressionante, com tela sensível ao toque de 3.2 polegadas com resolução “widescreen” de 240 x 400 pixels, câmera de 5 megapixels com flash, gravação de vídeos com resolução VGA, GPS, Wi-Fi, Rádio FM, Bluetooth e 8 GB de memória interna, só para citar apenas alguns no campo do hardware.

Algumas coisas são curiosas: um botão centralizado logo abaixo da tela funciona como um “mouse“. Sim, mouse, com direito a setinha e tudo o mais. O funcionamento é similar aos mouses “trackpoint” dos notebooks Thinkpad. A câmera tem detecção de faces, “geotagging” (marcação das fotos com as coordenadas geográficas do local onde foram tiradas) e um recurso que está se tornando comum em modelos domésticos, o chamado “Smile Shot“: ela dispara automaticamente quando uma pessoa sorri.

O sistema operacional é o Windows Mobile 6.1, adaptado para funcionar melhor em um sistema com tela sensível ao toque. A tela principal, por exemplo, é um desktop com uma lista de widgets na lateral esquerda. Com um movimento dos dedos, é possível arrastar widgets da lista para o desktop (onde eles “crescem” para o tamanho normal) e personalizá-lo a seu gosto com relógios, listas de mensagens, notícias, previsão do tempo, media players e afins. 

Um Opera otimizado para a tela sensível ao toque, substitui o já cansado “Pocket IE” típico dos aparelhos com Windows Mobile no papel de navegador web. A compatibilidade com sites (testei uma meia dúzia) é boa, e ele é capaz dos mesmos truques do Safari no iPhone: dois cliques para “dar zoom” em uma seção da página, passadas com os dedos sobre a tela para rolar a página, mudança automática de modo (retrato ou paisagem) quando o aparelho muda de posição (de pé ou deitado) e tudo o mais.

Durante o uso, o Omnia me pareceu bastante ágil, com uma interface que reage rápida e precisamente aos toques na tela. A Samsung adotou o recurso, já usado por outros fabricantes, de “haptics”, ou seja, uma resposta tátil (no caso, uma vibração do aparelho) usada para confirmar um comando. Por duas vezes, o navegador deixou de rotacionar automaticamente a página quando deitei a tela, talvez porque fiz um movimento suave demais.

Algumas coisas não me pareceram legais. Apesar da interface da Samsung ser boa, a original do Windows Mobile, totalmente inadequada para uso com os dedos, ainda está lá, visível se você fuçar “a fundo” o suficiente nos menus. O teclado virtual tem teclas pequenas demais no modo retrato, e alguns botões, como o X para fechar os programas, são menores ainda. Talvez ciente disto, a Samsung inclui com o Omnia uma caneta, o que pode ser confuso e deixar o usuário sem saber com qual instrumento (dedo ou caneta) interagir.

O Samsung SGH-i900 “Omnia” deve chegar ao mercado nacional em breve, com preço sugerido pelo fabricante (sem subsídios) de R$ 1.799. Espere encontrá-lo em sua operadora favorita (ele estará disponível para todas as operadoras, segundo a Samsung) por um preço menor, e provavelmente bastante competitivo com o aparelho da Apple. Peguem sua pipoca, porque a briga começou :)

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo