Publicidade

Publicidade

22/09/2009 - 13:11

Positivo aposta nos desktops “tudo em um”

Compartilhe: Twitter

A Positivo informática anunciou hoje vários modelos de computadores “tudo em um”, que integram todos os componentes em uma só peça atrás (ou abaixo) do monitor. Batizada de “Positivo Union”, a linha chega em três configurações-base, com três diferentes faixas de preço.

O modelo de entrada é o Union 640, com um processador Intel Atom de 1.6 GHz, 2 GB de RAM, HD de 160 GB, placa de TV, interface de rede sem fios e webcam integrada. Vem com o Windows 7 Starter, com preço sugerido de R$ 1.499.

A linha intermediária é composta pelo Positivo Union 820, que tem versões com Windows ou Linux. O processador ainda é um Intel Atom de 1.6 GHz, 320 GB de espaço em disco, 1 GB de RAM, interface de rede wireless e tela de 18.4 polegadas. O design é diferente do modelo de entrada, que tem todos os componentes atrás do monitor: no Union 820 eles ficam em uma “base” sobre o qual o monitor é montado. Com isso, o monitor é mais fino e ajustável. O preço sugerido é de R$ 1.999

Já o modelo “topo de linha” tem uma configuração de dar gosto. O Union Touch 2200 tem monitor LCD Full HD (1920 x 1080 pixels) de 21.5 polegadas sensível ao toque e com webcam integrada, processador Intel Core 2 Duo de 2.2 GHz, 4 GB de memória RAM e nada menos que 1 TB de espaço em disco. O chipset de vídeo nVidia (plataforma nVidia Ion) ajuda na reprodução de vídeo em alta definição (embora ele não tenha Blu-ray integrado). Vem com o Windows 7 Premium, e tem preço sugerido de R$ 3.799. Veja um vídeo:

Todas as máquinas chegarão às lojas em 22 de Outubro, a tempo para o lançamento do Windows 7.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , ,
29/06/2009 - 17:58

Intel anuncia novo Classmate PC

Compartilhe: Twitter

A Intel anunciou no último sábado uma nova versão de seu portátil projetado para o mercado educacional, o Classmate PC. O “Classmate 2.0”, como é informalmente conhecido, mantém o processador Intel Atom de 1.6 GHz, tela de 1024 x 600 pixels e características de durabilidade, como o teclado resistente à àgua, do modelo atual, mas traz uma mudança que afeta profundamente seu modo de uso: a tela é sensível ao toque, e pode “girar” e se fechar sobre o teclado, transformando-o em um Tablet PC.

Tive a oportunidade de experimentar o novo modelo durante o Intel Editor’s Day 2009, e gostei muito do que vi. Graças a um acelerômetro integrado é possível usar o novo Classmate no modo “tablet” do jeito que você quiser: de pé ou deitado, a tela se reorienta automaticamente assim que ele é virado. A alça emborrachada (na traseira) ajuda a dar apoio quando ele é segurado como um caderno, e tela sensível ao toque é capaz de fazer o chamado “cancelamento de palma”, ou seja, você pode escrever à mão livre com a lateral da mão apoiada na tela, como se estivesse escrevendo em um caderno, sem que o sensor fique louco com isso. Graças a isto, é muito fácil escrever no novo Classmate PC.

O software também recebeu mudanças, com novos programas capazes de tirar proveito da tela de toque. Eles vão de um utilitário para reconhecimento de escrita (que funcionou muito bem e reconheceu meus garranchos) a software de desenho (o ArtRage 2.5) e o incrível Algodoo, que me fez ficar horas brincando: com ele é possível simular experimentos de física no Classmate PC, como nada mais que desenhos à mão livre e formas geométricas básicas.

Vale lembrar que a iniciativa Classmate PC é muito mais que apenas um “netbook para crianças”, embora esta seja, sem dúvida, a parte mais visível do projeto. Há também toda uma estrutura de servidores e software para administração das máquinas, acessórios para sua manutenção e, o mais importante, treinamento dos professores, já que se eles não souberem tirar proveito da tecnologia, ela não servirá para nada.

Os novos Classmate PC chegarão “ao mercado” em outubro deste ano. No Brasil, os modelos atuais são produzidos pela Positivo Informática e CCE, e provavelmente elas produzirão também o novo modelo. E para os que já saíram da escola faz tempo mas se interessam pela máquina, uma boa notícia: a Intel pretende colocá-la no mercado ao alcance do consumidor final. Preço e detalhes ainda não foram definidos.

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , ,
29/06/2009 - 16:16

Intel simplifica marcas e facilita escolha

Compartilhe: Twitter

Vamos ser francos: comprar um computador não é fácil, e os fabricantes não ajudam. Na hora de assinar o cheque qualquer um corre o risco de ficar louco tentando entender a diferença entre um Core Duo e um Core 2 Duo, sem falar nos números de modelos: será que existe um consumidor sequer que realmente entenda a diferença entre um Core 2 Duo E4300 e um Core 2 Duo E6300?

Felizmente a Intel decidiu facilitar nossas vidas e anunciou recentemente uma simplificação de sua linha de produtos. A empresa vai abandonar a família Core 2 e denominações como Core 2 Solo, Core 2 Duo e Core 2 Quad, em favor de uma estrutura de três níveis: os processadores Intel Core i3, Intel Core i5 e Intel Core i7.

Elber Mazaro, diretor de marketing da Intel Brasil, me explicou a estratégia em um papo durante o Intel Editor’s Day, que aconteceu entre os dias 25 e 28 de Junho em Maceió: depois da consolidação das marcas, que deve estar completa em 2010, a linha ficará dividida em Celeron, o modelo de entrada para máquinas mais básicas e baratas, o Pentium Dual para PCs um pouco mais sofisticados e a família Core, para as máquinas “topo de linha”.

Nessa família, os processadores Core i3 serão o modelo de entrada. Na sequência vem os Core i5, e no topo da escala os Core i7. Os nomes não representam de forma alguma uma divisão por tipo de produto: poderemos ter notebooks com processadores Core i7 e desktops com Core i3. Ordenando do mais básico ao mais sofisticado a linha de produtos da Intel dica assim: Celeron -> Pentium Dual -> Core i3 -> Core i5 -> Core i7.

É exatamente o que a Audi faz com seus carros. O A3 é o modelo de luxo mais barato, o A5 é o intermediário e o A7 é o topo de linha. E para ajudar na escolha entre processadores de uma mesma família, a Intel também está adotando um sistema de “estrelas” para comunicar ao consumidor, de forma mais visível, as características de cada modelo.

Ao comparar duas máquinas semelhantes, ele saberá que pode esperar mais de um modelo com um Core i3 quatro estrelas do que de um Core i3 três estrelas. Mas atenção: elas não indicam o desempenho do processador, mas sim seu conjunto de recursos: quando mais estrelas, mais completo ele é. As estrelinhas não estarão presentes em etiquetas no produto (computador) em si, mas serão usadas em campanhas online e publicidade.

Até a consolidação da linha, os modelos de processadores da atual família Core 2 continuam no mercado. Os novos processadores Core i3 e Core i5 devem chegar ao mercado mundial em setembro deste ano.

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , , , ,
26/06/2009 - 10:38

Você acha os netbooks pequenos?

Compartilhe: Twitter

MID mbook M1, da sul-coreana UMID

Se você já acha os netbooks pequenos demais, prepare-se para o que vem por aí. Andando pelas salas do Intel Editor’s Day em Maceió, Alagoas, encontrei algo ainda menor.

A máquina debaixo na foto é um netbook Lenovo IdeaPad S10 com tela de 10 polegadas. A de cima é um MID (Mobile Internet Device) “mbook M1”, da Coreana UMID, trazido para demonstrações.

Tem processador Atom de 1.3 GHz, 512 MB de RAM, 16 ou 32 GB de espaço em disco (SSD), Wi-Fi, Bluetooth e tudo o mais. A tela é de 4.8 polegadas, com resolução de 1024 x 600 pixels (a mesma do Lenovo). Segundo o fabricante, a bateria aguenta até seis horas de uso contínuo.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , ,
15/12/2008 - 11:36

Jogando num Netbook

Compartilhe: Twitter

Sempre que faço um review de um netbook, ou explico a alguém o conceito por trás do produto, deixo um aviso bem claro: “atenção, não é uma máquina para quem quer jogar“. Afinal, os jogos mais “quentes” do mercado, como Crysis e Left 4 Dead, ou mesmo alguns títulos mais antiguinhos como Doom 3, sequer chegam perto de rodar no chip de vídeo integrado (geralmente um Intel GMA 950) destas máquinas.

Mas o aviso é só uma “meia” verdade. Dá pra jogar, sim, nestas máquinas, se você não se importa em se divertir com alguns títulos mais antigos e não faz questão do máximo em qualidade gráfica. Principalmente se você tem um netbook equipado com um processador Intel Atom, como o MSI Wind, O LG X10, o CCE Win 10, o Acer Aspire One, o Mobo White e afins.

Emuladores de consoles mais antigos, como MegaDrive, SNES e até o primeiro PlayStation, rodam sem problemas nestes micros. A falta de um drive de CD para ler os discos de PlayStation, por exemplo, pode ser superada com um drive externo, ou convertendo seus CDs originais em imagens ISO, arquivos contendo todo o conteúdo do CD. Com no máximo 700 MB por jogo, dá para colocar vários deles em um pendrive de 2 GB.

Mas as máquinas também rodam games mais modernos. Age of Empires 2, Comand and Conquer 3, FIFA 2008, GTA San Andreas/Vice City, vários jogos da série Need for Speed, Rayman Raving Rabbids e quase toda a série Quake (com exceção de Quake 4) fazem parte de uma lista de jogos para Windows que funcionam no MSI Wind (e similares) no wiki do MSIWind.net. Não usa Windows? Há uma lista, menor, com jogos para Linux que também funcionam.

O site tem até instruções para “hackear” alguns jogos mais modernos, como Guitar Hero III, e convencê-los a rodar nos portáteis. O mais legal é que a lista não vale só para netbooks, mas também para praticamente qualquer notebook ou desktop que tenha gráficos integrados

E antes de encerrar, uma dica: se você gosta de jogos mais antigos, e era fã do MegaDrive, dê uma olhada em “Streets of Rage Remake“, uma espécie de remix/continuação de uma das séries de luta mais famosas do console, que roda bem em quase qualquer micro, mesmo netbooks. Com novos personagens, golpes, fases com múltiplos caminhos e músicas, o jogo pega o que já era bom e deixa tudo muito mais divertido. Horas de pancadaria (e satisfação com os gritos de seus inimigos) garantidas.

No desktop ou netbook, a pancadaria corre solta

Autor: - Categoria(s): software Tags: , , ,
18/11/2008 - 16:31

Intel Core i7 chega ao Brasil

Compartilhe: Twitter

A Intel anunciou hoje, em São Paulo, o lançamento de sua nova família de processadores Core i7. Segundo a empresa, os novos chips são os “processadores mais avançados de todos os tempos“, e trazem ganho de desempenho de até 40% em determinados cenários de uso, sem aumento significativo no consumo de energia, quando comparados aos atuais processadores da família Core 2 Duo.

Com quatro núcleos em um único chip (Quad-Core), os processadores Core i7 contam com tecnologias como “Hyper-Threading” e “Turbo Boost“, que aumentam o desempenho da máquina, seja possibilitando a execução de mais tarefas simultâneamente, seja ajustando o desempenho e consumo de energia de cada núcleo individual automaticamente de acordo com as necessidades a cada momento.

Além disso, os processadores fazem uso de tecnologias como os transístores “power gate“, que tem menor consumo de energia, e o sistema de interconexão Intel Quickpath, que possibilita transferências de dados entre a memória e o processador com muito mais velocidade, eliminando gargalos de desempenho.

Em benchmarks de jogos com o 3DMark Vantage, em categorias como “Física no Processador” e “Inteligência Artificial”, os novos processadores Intel Core i7 tem desempenho 40% superior a um Core 2 Extreme de clock similar. Em benchmarks de cálculo como o SPECTint_base_rate2006 um Core i7 chegou à marca dos 117 pontos. Foi a primeira vez na história que um único processador ultrapassou a barreira dos 100 pontos neste teste.

A princípio chegam ao mercado três modelos: O mais “em conta” é o Intel Core i7 920, com clock de 2.66 GHz, com preço sugerido de US$ 248 dólares a unidade. O modelo intermediário é o Intel Core i7 940, com clock de 2.93 GHz por US$ 562 e o top de linha é o Intel Core i7 965 Extreme Edition, voltado a gamers e entusiastas, com clock de 3.20 GHz (sem limitação contra overclock) e preço sugerido de US$ 999.

Todos os modelos tem 8 MB de cache L3, suporte a memória DDR3-1066 e dissipação de 130 Watts. Para acompanhar os chips, várias empresas estão produzindo placas-mãe baseadas no novo chipset X58, da Intel. A ECS Elitegroup tem a X58B-A Black Series, e a MSI tem modelos da Série Eclipse.

Quem prefere PCs montados também tem opções. Cinco fabricantes nacionais (Accept, CCE, Megaware, Nova e Positivo) já anunciaram modelos baseados nos novos processadores, que devem chegar ao mercado em breve, em redes como o Carrefour, Extra, FNAC, Ponto Frio e Submarino.

A primeira empresa a anunciar uma configuração e preço foi a Megaware com seu MegaPRO: um micro equipado com um processador Intel Core i7 920 de 2.66 GHz, 4 GB de RAM, HD de 500 GB e placa de vídeo (não especificada) com 1 GB de memória, por R$ 3.999. A máquina estará disponível já nesta semana exclusivamente nas lojas das redes Extra e FNAC.

Atualização, 19/11 às 00:16: O vídeo abaixo mostra um comparativo de desempenho entre duas máquinas basicamente idênticas, uma equipada com um processador Intel Core 2 Extreme 9770 (3.2 GHz) e 4 GB de RAM, e outra com um Intel Core i7 Extreme 965 (também a 3.2 GHz) com 3 GB de RAM (menos memória, portanto). Ambas renderizam a mesma cena em 3D usando o software Cinebench, um processo que demanda muito da máquina. Vejam a diferença com seus próprios olhos:

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , ,
Voltar ao topo