Publicidade

Publicidade

22/10/2009 - 15:56

Samsung mostra nova linha de celulares

Compartilhe: Twitter

A Samsung apresentou na manhã desta quinta-feira uma nova linha de telefones celulares, com modelos em todas as categorias, para os mais variados tipos de usuários. Uma das principais atrações foi o Pixon 12, equipado com uma poderosa câmera digital de 12 MP, a maior resolução entre os celulares com câmera disponíveis no Brasil.

O aparelho é baseado no mesmo processador de 800 Mhz do Samsung Jét, que garante o desempenho. Tem lente grande-angular de 28mm acompanhada por Flash Xenon, grava vídeos com resolução de DVD (720 x 480 pixels) e tem tela AMOLED (com melhor cor e contraste em relação às telas LCD convencionais) de 3.1 polegadas sensível ao toque. A interface é a TouchWiz, a mesma usada em outros modelos da Samsung como o Star, o Jét e o Omnia. Vem em kit que acompanha capa de couro, fones de ouvido e cartão microSD de 8 GB, com preço sugerido de R$ 1.899

Smartphones para todos os gostos

A linha de smartphones é composta por quatro modelos. Dois deles (Galaxy e Galaxy Lite) são baseados no sistema operacional Android, do Google. Os outros dois, o Omnia II e Omnia Pro, rodam o Windows Mobile.

O Galaxy já havia sido anunciado em setembro, mas o Galaxy Lite é novidade. Com um novo design mais atraente, com detalhes em vermelho, ele troca a câmera de 5MP com flash e auto-foco e os 8 GB de memória interna do seu irmão mais velho por uma câmera de 3MP sem flash e foco fixo e 200 MB de memória interna, expansível com cartões microSD.

Em compensação, ganha no processador mais veloz, de 800 MHz contra os 567 MHz do Galaxy. No resto ambos são idênticos, equipados com tela sensível ao toque de 3.2 polegadas, Wi-Fi, Bluetooth e 3G, e rodam o sistema operacional Android 1.5 com a interface original do Google. O Samsung Galaxy já está nas lojas, com preço sugerido de R$ 1.799, e o Galaxy Lite chega em Novembro, com preço sugerido de R$ 999.

O mundo Windows Mobile é representado pelo Omnia II, um “Windows Phone” com tela sensível ao toque de 3.7 polegadas, câmera de 5 MP, Bluetooth, Wi-Fi, GPS e 8 GB de memória interna, rodando o Windows Mobile 6.5. Já o Omnia Pro é bem diferente de seus irmãos, e é o primeiro modelo da família Omnia com teclado QWERTY integrado, e tem a aparência de um BlackBerry ou Nokia ESeries, com o teclado logo abaixo da tela. Tem câmera de 3.2 MP, tela de 2.4 polegadas, memória expansível com cartões microSD (um cartão de 1 GB acompanha o aparelho). Tem Wi-Fi e Bluetooth, mas não tem GPS, e roda o Windows Mobile 6.1. Os preços sugeridos pelo fabricante são de R$ 1.599 pelo Omnia II, e R$ 799 pelo Omnia Pro.

Bateria solar

O Solar e o Blue Earth são os dois modelos da Samsung no segmento de aparelhos com bateria recarregável usando energia solar. O Solar é um modelo básico, mas o Blue Earth é bem mais interessante, com uma tela sensível ao toque de 3 polegadas, câmera de 3 MP, GPS, compatibilidade com redes 3G e Wi-Fi, com a mesma interface gráfica “TouchWiz” de aparelhos como o Jet e o Star. O aparelho também tem alguns aplicativos “ecológicos”, como um pedômetro que, nas palavras da Samsung, “incentiva o usuário a andar e mostra o quanto a emissão de CO2 é reduzida ao não usar os meios de transporte convencionais”.

A recarga da bateria é simples: na traseira do aparelho há um painel solar. Cada 1 hora sob a luz do sol rende energia suficiente para deixar o aparelho por duas horas em “stand-by”, ou para 15 minutos de conversação. Usando apenas a luz do sol é possível recarregar a bateria interna a até 75% de sua capacidade, ou seja, a energia solar é um complemento, não um substituto, para um carregador de tomada. O Blue Earth tem preço sugerido de R$ 949

Mensageiros de bolso

O Samsung Scrappy, celular com teclado QWERTY voltado para o público jovem e louco por mensagens, ganhou dois irmãos. O Scrappy 2 tem uma tela maior (2 polegadas), câmera melhor (2 MP) e memória expansível com cartões microSD de até 8 GB (um cartão de 1 GB acompanha o aparelho). Vem com software que permite conexão a diversas redes sociais, incluindo Facebook e MySpace, e sistemas de mensagens instantâneas como o MSN e Google Talk. O teclado numérico é estranho, disposto em uma “faixa” ao lado do monitor, e o teclado QWERTY (deslizante como no modelo anterior) parece bastante confortável. Deve custar R$ 499

Já o Scrappy Touch, como o nome diz, tem além do teclado QWERTY uma tela sensível ao toque e no geral recursos similares aos do Scrappy 2, com algumas pequenas mudanças como a capacidade de fazer fotos panorâmicas. Também vem em kit com cabo de dados, fones de ouvido e cartão de memória de 1 GB, por R$ 549,00

Autor: - Categoria(s): evento, hardware, noticia Tags: , , , , , , ,
11/08/2009 - 20:43

Panoramas fáceis e vídeo em HD

Compartilhe: Twitter

No stand da Sony na PhotoImageBrazil 2009, um dos principais destaques era a DSC-HX1, uma câmera equipada com sensor Exmor de 9.1 MP3 e lentes Sony G com zoom óptico de 20x. Com aparência de câmera profissional, embora na prática seja considerada uma “superzoom”, ela se destaca na linha de produtos por dois motivos.

O primeiro é a capacidade de gravar vídeos em Full HD (1920 x 1080 pixels), o máximo em alta definição. Segundo a Sony, esta é a primeira câmera em sua categoria a ter este recurso. O segundo destaque é o que a Sony chama de “Sweep Panorama”, que facilita a tomada de fotos panorâmicas.

Para fazer uma foto panorâmica em uma câmera “comum” equipada com este recurso, geralmente é necessário tirar cada uma das fotos manualmente, tomando cuidado com o alinhamento para que as pontas se encaixem de forma correta. Na HX1, tudo o que o usuário tem que fazer é bater a primeira foto e mover a câmera da esquerda para a direita, enquadrando o resto da cena. A câmera faz o resto, capturando as imagens, corrigindo exposição e diferenças de enquadramento e montando a imagem final. Os resultados, impressos em um minilab, são excepcionais.

A Sony DSC-HX1 já está disponível no mercado nacional, com preço sugerido pelo fabricante de R$ 2.699 exclusivamente na loja online da Sony, a Sony Style. Conheça mais um pouco desta câmera no vídeo abaixo.

A PhotoImageBrazil 2009 acontece entre 11 a 13 de Agosto das 14:00 às 21:00 no centro de exposições imigrantes, em São Paulo. A feira é voltada aos profissionais da indústria de imagem, e a entrada de menores de 16 anos, mesmo acompanhados, é proibida. Mais informações sobre a feira e o credenciamento estão disponíveis no site oficial.

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , , , , , ,
21/10/2008 - 17:37

Sony Alpha 900: sob medida para os profissionais

Compartilhe: Twitter

Sony Alpha 900A Sony anunciou hoje o lançamento de sua primeira câmera digital profissional, a D-SLR (Digital Single Lens Reflex) Alpha 900. Não é um modelo para tirar fotos das férias ou da festinha do sobrinho (embora ela faça isso muito bem, com certeza), mas sim uma máquina para quem o sustento depende da fotografia. E isso se reflete no preço, ao qual chegaremos mais adiante.

Vamos ao ponto principal do produto: a Alpha 900 usa um sensor “full-frame”, ou seja, exatamente do tamanho de um negativo de filme 35 mm, com a impressionante resolução de 24.6 megapixels. Muitas D-SLRs já no mercado usam sensores de tamanho APS-C, menores. Além de um campo de visão menor (quando comparado a uma máquina com sensor full-frame e a mesma lente), um sensor menor absorve menos luz, o que resulta em menor qualidade de imagem.

Outro destaque é que a estabilização de imagem (que a Sony chama de “Steady Shot Inside”), que é feita no sensor (que se move no sentido contrário ao movimento da câmera), o que dispensa o uso de lentes estabilizadas especiais, mais caras e delicadas. Ou seja, qualquer lente compatível com o sistema de encaixe da linha Alpha (e isso inclui qualquer lente Minolta AF, o sistema é o mesmo) passa a ser “estabilizada”, o que é uma boa notícia para os fotógrafos que já tem uma câmera da linha e andam pensando em um upgrade.

Um sistema que ajuda a economizar tempo é o Inteligent Preview. Funciona de forma simples: quando você não consegue decidir qual o melhor ajuste de imagem para a cena, basta tirar uma foto que será usada como preview e, no menu da câmera, brincar com o ajustes: exposição, balanço de branco, faixa dinâmica, correção de cores, etc. Os resultados são mostrados em tempo real no visor LCD da câmera. Quando você estiver satisfeito com a imagem, basta salvar os ajustes e fotografar à vontade: eles serão aplicados a todas as fotos subsequentes. É uma mão na roda para quem fotografa em estúdio, por exemplo.

Por fim, um modo de “controle remoto” permite ligar a câmera ao PC (via cabo USB), fazer todos os ajustes e controlar o disparo remotamente. E falando em disparo, a Alpha 900 é capaz de capturar 5 fotos por segundo mesmo em resolução máxima, em um total de 285 fotos em JPEG ou 12 fotos em RAW. As imagens podem ser armazenadas em cartões Memory Stick ou Compact Flash (e suas inúmeras variantes, como “Memory Stick Pro Duo” e MicroDrives). Segundo a Sony, a bateria tem autonomia para 800 fotos.

OK, agora vamos ao preço: lembram-se de que falei que ela é uma câmera profissional? Pois então, o preço faz jus ao status de ferramenta essencial de trabalho: R$ 12.999 (isso mesmo, treze mil reais, trocando em miúdos), apenas pelo corpo da câmera (lentes são vendidas à parte), parcelável em 10x sem juros. A Sony decidiu não comercializar a câmera em lojas, ela estará disponível apenas através do site Sony Style, ou na loja conceito da empresa no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo, a partir de meados do mês de novembro.

Uma coisa curiosa: no evento havia uma Alpha 900 desmontada, mostrando bem cada um dos principais componentes da câmera, algo muito interessante. Confiram na galeria abaixo:

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , , ,
Voltar ao topo