Publicidade

Publicidade

20/10/2009 - 16:21

Novas Cyber-Shot fazem fotos panorâmicas

Compartilhe: Twitter

A Sony trará ao Brasil em novembro dois novos modelos de câmeras Cyber-Shot “domésticas”, a DSC-TX1 e a DSC-WX1. A grande atração em ambos os modelos é o modo de fotografia panorâmica “Sweep Panorama” (que estreeou na semiprofissional DSC-HX1 durante a PhotoImageBrazil 2009).

É o jeito mais fácil de tirar fotografias panorâmicas, basta enquadrar a primeira cena, bater a foto e mover a câmera para o lado para pegar o resto da paisagem. A câmera se encarrega de fazer automaticamente a captura, correção e alinhamento das imagens e a “costura” do panorama, tudo rapidinho. O resultado é uma paisagem completa, impossível de capturar em uma única foto. Algo como isto:

Foto tirada com um Nokia N95 8GB. Os resultados com a DSC-TX1 são melhores
Foto tirada com um Nokia N95 8GB. Os resultados com a DSC-TX1 são melhores e a imagem
pode chegar a 7152 x 1080 pixels

Ambas as câmeras tem sensor de imagem Exmor R e processador BIONZ, que segundo a Sony são responsáveis por capturar imagens com maior nitidez, cores mais vivas e menos ruído, especialmente em situações de pouca luz. Também são capazes de truques como detecção de faces e sorrisos, detecção inteligente de cena e um curioso modo “pet” para tirar fotos de bichinhos que não param quietos. A DSC-TX1 tem lente Carl-Zeiss e tela sensível ao toque, enquanto a DSC-WX1 tem zoom óptico de 5x. E ambas são compatíveis com o novo acessório Party-shot, que tira fotos por você.

A DSC-TX1 tem preço sugerido de R$ 2.499, e a DSC-HX1 custará R$ 2.199. Ambas poderão ser encontradas no site Sony Style e lojas Sony Style em shoppings de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Salvador.

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , ,
20/10/2009 - 15:52

Acessório da Sony tira as fotos por você

Compartilhe: Twitter

Acoplado a câmeras Cyber-shot, o Party-shot fotografa sozinhoCansado de ser o fotógrafo da turma nas festas e nunca aparecer nas imagens? Um acessório da Sony que chega em breve às lojas de todo o país promete a solução. É o Party-shot, uma espécie de “base” robotizada à qual você acopla uma câmera Cyber-shot compatível.

Basta colocar o conjunto em um ponto estratégico da sala, ligar o acessório e pronto. Sozinho ele começa a analisar a cena, movendo a câmera para os lados, para cima e para baixo em busca de rostos e sorrisos. Quando encontra algum a câmera foca, compõe a cena e tira a foto, sozinha, e reinicia a busca. Parece coisa de ficção científica. A seleção de modos de cena, de foco, exposição, balanço de branco e até mesmo a decisão de usar ou não o flash é automática. Vejam ela em ação neste vídeo da própria Sony:

O acessório funciona com duas pilhas AA comuns, e segundo a Sony, é capaz de operar por até três horas consecutivas (ou até a bateria da câmera acabar, o que acontecer primeiro). Toda a “inteligência” usada no processamento de imagens (detecção de faces e sorrisos, foco e captura das imagens) está na câmera, que comanda os motores da base para encontrar o melhor ângulo. Por isso, a tecnologia não funciona com todas as Cyber-shot: no momento, apenas a DSC-TX1 e a DSC-WX1 (lançamentos da Sony no Brasil) são compatíveis.

O Party-shot chega ao Brasil em Novembro, com preço sugerido de R$ 699 no site Sony Style ou lojas Sony Style em shoppings de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Brasília.

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , ,
11/08/2009 - 17:15

Fuji Finepix Real 3D W1: a primeira câmera 3D do mercado

Compartilhe: Twitter

A Real 3D W1 é a primeira câmera capaz de tirar fotos 3DO grande destaque da PhotoImageBrasil 2009 é, sem dúvida, a Fuji Finepix Real 3D W1, a primeira câmera digital do mundo capaz de tirar fotos em 3D. Sim, 3D, como nos filmes do cinema. O truque consiste em um sistema óptico duplo: são duas lentes, e dois sensores de 10 MP, que capturam ao mesmo tempo duas imagens diferentes, uma para cada olho do observador. Por isso a câmera é “grandona”, bem maior que a atual geração de modelos “slim”.

Na hora de exibir as fotos, as imagens são mostradas que forma que o cérebro as “combina” em uma só, criando a ilusão de profundidade. Para isso é necessário equipamento próprio: o efeito pode ser visto na própria tela da câmera, em um porta-retratos digital especial (também mostrado na feira) ou impressas em papel especial, coberto com uma espécie de “lente” plástica que mantém o efeito. Em qualquer modo, não são necessários óculos 3D. Nas fotos impressas o efeito não é tão dramático quando no porta-retratos, mas ainda assim surpreende.

Além das fotos, a W1 também faz filmes em 3D, além de filmes e fotos em 2D como qualquer câmera comum. Segundo a Fujifilm, ela chega ao Brasil no fim do ano, ainda sem preço definido para a câmera, porta-retratos ou revelação em papel 3D (que lá fora custa US$ 5 por foto). Infelizmente, é impossível reproduzir o efeito 3D em fotos como as abaixo.

A PhotoImageBrazil 2009 acontece entre 11 a 13 de Agosto das 14:00 às 21:00 no centro de exposições imigrantes, em São Paulo. A feira é voltada aos profissionais da indústria de imagem, e a entrada de menores de 16 anos, mesmo acompanhados, é proibida. Mais informações sobre a feira e o credenciamento estão disponíveis no site oficial.

Vejam também um vídeo da câmera em funcionamento:

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , , , ,
11/08/2009 - 16:52

Panasonic fotografa até debaixo da água

Compartilhe: Twitter

O grande destaque na linha de produtos apresentada pela Panasonic na PhotoImageBrazil 2009, na opinião da própria empresa, é a Lumix LX3, uma câmera “premium” compacta com design retrô, que lembra muito as antigas Leica.

E não é por coincidência, já que ela é equipada com uma lente Leica grande angular de 24 mm com abertura de F2.0, o que facilita a fotografia em situações de pouca luz com velocidades mais altas do obturador, e pode ser usada para “truques” como desfocar a paisagem de fundo, enfatizando o assunto principal da foto. Com preço sugerido pelo fabricante de R$ 2.699, a câmera chega às lojas de todo o país em setembro. A Panasonic também irá comercializar um kit de acessórios, com lentes, filtros e visores externos.

Mas um dos modelos que mais chama a atenção, por suas características, é a Lumix DMC-TS1 (na foto), uma câmera “dura na queda” capaz de fotografar debaixo dágua (a até 10 metros de profundidade), além de ser resistente a quedas (com direito a demonstração dramática com uma queda do palco) e poeira. A câmera tem sensor de 12.1 MP com lente Leica com zoom óptico de 4.6x. A Panasonic também irá comercializar como acessório uma caixa estanque que permite a fotografia subaquática a até 40 metros de profundidade. Disponível nas cores prata, azul, verde e laranja, a câmera tem preço sugerido de R$ 1.999

A Panasonic também apresentou sua nova linha de cartões de memória SD, que ganha mais destaque neste ano. Estão chegando ao Brasil as linhas Gold, com cartões Classe 10 com velocidade acesso de até 22 MB/s nas capacidades de 4, 8, 16 ou 32 GB) e Silver, cartões Classe 4 (até 20 MB/s) nas capacidades de 2, 4, 8, 12 e 16 GB. A empresa faz questão de frisar o processo de fabricação dos cartões, em sua unidade em Yamagata, no Japão, com destaque para o controle de qualidade, a resistência mecânica e capacidade de operar em tempraturas extremas (de -25 a 85 graus centígrados).

A PhotoImageBrazil 2009 acontece entre 11 a 13 de Agosto das 14:00 às 21:00 no centro de exposições imigrantes, em São Paulo. A feira é voltada aos profissionais da indústria de imagem, e a entrada de menores de 16 anos, mesmo acompanhados, é proibida. Mais informações sobre a feira e o credenciamento estão disponíveis no site oficial.

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , , ,
11/08/2009 - 14:44

Kodak apresenta câmeras e acessórios

Compartilhe: Twitter

Kodak EasyShare C140A Kodak está apresentando na PhotoImageBrazil 2009 uma nova linha de câmeras digitais e acessórios para fotografia. A linha de câmeras vai da semiprofissional Z950, uma câmera de 12 MP com zoom óptico de 10x e lentes Schneider-Kreuzach Variogon (R$ 1.199, completa) até a EasyShare C140 (na foto), uma “câmera de entrada” com sensor de 8.2 MP, zoom óptico de 3x, detecção de faces e estabilizador de imagem por um preço bastante atraente de R$ 449.

Assim como todos os outros modelos da linha EasyShare, a C140 já vem com um cartão de memória de 2 GB incluso, e tem um recurso que facilita o upload de vídeos para o YouTube, através de um PC com o software Kodak EasyShare (incluso com a câmera).

Outro diferencial das câmeras da Kodak é o que a empresa chama de Captura Inteligente (Smart Capture Mode), software na câmera que facilita a obtenção de imagens e através de detecção de cena, controle automático de exposição e foco e processamento de imagem promete eliminar as fotos tremidas, escuras demais ou fora de foco.

Além das câmeras a Kodak também comercializará uma linha de acessórios, incluindo baterias e carregadores, bolsas para câmeras e o porta-retratos digital P720, um modelo com tela de 7 polegadas e borda sensível ao toque, que chegará ao mercado com o preço sugerido de R$ 299.

A PhotoImageBrazil 2009 acontece entre 11 a 13 de Agosto das 14:00 às 21:00 no centro de exposições imigrantes, em São Paulo. A feira é voltada aos profissionais da indústria de imagem, e a entrada de menores de 16 anos, mesmo acompanhados, é proibida. Mais informações sobre a feira e o credenciamento estão disponíveis no site oficial.

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , ,
11/08/2009 - 13:49

Celulares ainda não substituem as câmeras digitais

Compartilhe: Twitter

Durante a coletiva de abertura da PhotoImageBrazil 2009 Alex Deli Ivanov, gerente de negocios da empresa de consultoria GfK, divulgou alguns números interessantes que contrariam a noção de que os telefones celulares irão “matar” as câmeras digitais dedicadas. A verdade é que, pelo menos por enquanto, as câmeras estão na frente.

É verdade que em volume os celulares dispararam. Afinal, topo celular moderno tem uma câmera embutida, mesmo que ela não seja o principal foco do aparelho. Segundo números da GfK, no mercado mundial de dispositivos de captura de imagem os telefones celulares com câmera (camphones) respondem por 85% do volume de aparelhos comercializados, enquanto as câmeras ficam com 13%.

Entretanto, em termos de capacidade e recursos, as câmeras ainda lideram: a maioria esmagadora dos camphones vendidos no Brasil ainda tem câmeras VGA, e só 6% tem câmeras de 5 MP ou mais, capazes de concorrer com as câmeras  digitais. Ainda assim, a maioria das câmeras vendidas no país (35% do mercado) tem resolução entre 8 e 9 megapixels. E há ainda o fator preço: um celular equipado com uma câmera de 3 MP custa em média R$ 770, e com esse valor é possível comprar uma câmera de 10 MP de boa qualidade.

Por fim, um dado curioso: o mercado de SLR (Single Lens Reflex, as câmeras “profissionais”) no Brasil, e em geral na América Latina, é minúsculo: menos de 1% do total, em contraste com 8 a 9% no mercado mundial. Preço e até mesmo a segurança (medo de assaltos) são alguns dos fatores que inibem a adoção destes modelos mais sofisticados.

A PhotoImageBrazil 2009 acontece entre 11 a 13 de Agosto das 14:00 às 21:00 no centro de exposições imigrantes, em São Paulo. A feira é voltada aos profissionais da indústria de imagem, e a entrada de menores de 16 anos, mesmo acompanhados, é proibida. Mais informações sobre a feirsa e o credenciamento estão disponíveis no site oficial.

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , , ,
Voltar ao topo