Publicidade

Publicidade

09/05/2009 - 20:23

Um videogame da Apple?

Compartilhe: Twitter

Sabe quando você está tocando sua vida, e de repente aquele monte de fragmentos de idéias que estão guardadinhos no fundo da sua mente resolvem fazer “click” e você tem aquele momento “como não pensei nisso antes??“. Pois é, aconteceu comigo na quinta-feira.

Eu estava passando pelas notícias do dia, quando vi alguns sites comentando um boato de que a Apple estaria em negociações para comprar a Electronic Arts, uma das maiores desenvolvedoras de jogos do mundo. Parei por um segundo e pensei: “Balela, até parece que a Apple quer entrar no mercado de videog… CLICK!

Pensando bem, faz todo o sentido a Apple entrar no mercado de videogames. Não só faz sentido, como acredito que ela já está se preparando para isso. E não é com software, é com hardware, com um console com o logo da maçã estampado na tampa, “brigando” com o PlayStation 3, XBox 360 e Wii.

Leia mais »

Autor: - Categoria(s): hardware Tags: , , , , ,
20/01/2009 - 12:59

Debate aborda mobilidade como novo caminho para mídia

Compartilhe: Twitter

Há anos que os aparelhos portáteis, especialmente celulares, estão dando as caras na geração e propagação de conteúdo. Obviamente que o meio ainda é pouco difundido, mas toma força a cada novo aparelho desenvolvido. A palestra de Mobilidade, que aconteceu nesta terça-feira de manhã na Campus Party, colocou diversos especialistas do assunto para debater sobre quais são os defeitos, soluções e para onde deve ir esse novo jeito de se fazer mídia.

A palestra teve a participação de Juliana Vilas (UrblogÉpoca São Paulo), Rafael Sbarai (Consultor de novas mídias da Veja), Henrique Martin (blogueiro do Zumo) e Eduardo Brandini (chefe de redação da TV Bandeirantes), a blogueira Bia Kunze (Garota Sem Fio) foi a moderadora.

De acordo com Martin, um dos grandes problemas ainda enfrentados é a interface dos celulares, que ainda não possuem a melhor acessibilidade. “Por exemplo, o iPhone, que é um dos grandes expoentes da mobilidade, ainda não tem o melhor teclado touchscreen nem a melhor câmera para o usuário criar conteúdo”, disse. Já para Sbarai, “é necessário começar a formatar os sites de conteúdo para esse novo formato mobile, algo que poucos sites têm feito”.

Segundo Brandini, sempre que uma nova tecnologia aparece, soluções e novos problemas a acompanham. “Nós descobrimos que os furos de reportagem com imagens de celular nos ajudam muito, mas também percebemos as grandes falhas que ainda existem para entravar o uso pleno dessa plataforma”, afirmou o repórter.

Conteúdo

Algo que todos da mesa concordaram é a falta de conteúdo específico para o mobile. Juliana afirmou que ela sente mais necessária uma difusão melhor de prestação de serviços, “ainda falta uma maneira fácil e rápida de, por exemplo, eu saber que vias estão congestionadas enquanto estou no trânsito, como fazer para evitá-las e o porquê estão assim”.

Mas o “buraco é mais embaixo”, para Brandini. “O problema é que essa plataforma ainda é um nicho, não está bem disseminada. Por exemplo, falta conteúdo de entretenimento para celulares, mas não tem como você pensar em uma TV formatar um jogo de futebol para a plataforma móvel, já que com a televisão ela alcança todo e qualquer tipo de público. Ainda é complicado pensar nisso”, disse.

Sbarai ainda reafirmou seu cetismo quanto ao (pouco) conteúdo que é produzido hoje no Brasil para o mobile. “Tenho uma visão um pouco cética (da produção), pois os portais apenas traduzem o que têm no seu site para o celular. Os portais não pensam no que o usuário quer ver dentro do celular. O usuário já sabe o que quer, nós, como novas mídias, ainda não sabemos como podemos explorar isso corretamente”, afirmou.

Quando a moderadora Bia Kunze afirmou que o que falta de verdade é mais entretenimento para atrair mais usuários, Martin rebateu, afirmando que a plataforma se beneficia muito com o conteúdo “sério”. “Não podemos jogar apenas mais Big Brother nos celulares para trazer mais pessoas. Sei que isso gera receita, mas a parte mais ‘séria’ não pode ser esquecida. Um exemplo disso é que quando Steve Jobs se afastou de seu cargo na Apple, eu só tive chance de divulgar a notícia rapidamente no meu blog pois eu estava no Twitter seguindo pessoas mais ‘jornalísticas’ e que puseram a informação no ar”.

No final, o debate não teve grandes discussões, na maior parte dos temas os palestrantes concordavam ou, no máximo, complementavam a opinião do outro. Mas o assunto mais “espinhoso” comentado foi das barreiras que ainda são impostas pelas prestadoras de serviço para liberarem um acesso mobile melhor. Nesse caso todos os presentes na mesa concordaram de que falta muito incentivo para que essa nova mídia se torne mais democratizada.

Autor: - Categoria(s): evento Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
06/01/2009 - 22:29

As cenas da Macworld

Compartilhe: Twitter

Clique em uma imagem para ampliá-la e ler sua descrição

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , , ,
06/01/2009 - 13:29

A poucos minutos do keynote

Compartilhe: Twitter

Estou no ultimo piso do Moscone Center, em frente ao salão de número 3, onde em poucos instantes começa a palestra de abertura da Macworld 2009. Cheguei às sete da manhã, esperando enfrentar frio e uma longa fila, mas me surpreendi: a fila era bem curta, e nos deixaram entrar no Moscone West poucos minutos depois da minha chegada, segundo uma das organizadoras para que pudéssemos “ficar quentinhos”.

A conexão Wi-Fi aqui é bastante precária, então não há como fazer um “live-blogging” da palestra, que deve começar em 30 minutos. O site TUAW notou que alguém na Apple cometeu um deslize e publicou uma página com um link para o iWork ’09, que ainda não foi anunciado, portanto já temos a primeira novidade. E, claro, a loja online da Apple está fora do ar. Curiosamente, a Apple Store na Ellis St,. a caminho do Moscone Center, mudou a vitirine ontem à noite: saíram os iPods nano, entraram os novos MacBooks, que não são novidade: foram anunciados em outubro. Será apenas um “tapa-buraco” até os novos produtos aparecerem?

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , , ,
05/01/2009 - 13:43

Jobs explica a ausência na Macworld

Compartilhe: Twitter

Quando a Apple anunciou que Steve Jobs não faria a palestra de abertura da Macworld Expo 2009, rumores sobre o quadro de saúde do CEO da Apple começaram a circular com força. Jobs teve um câncer raro no pâncreas em 2004, (que escondeu do público até ser curado) e vem perdendo peso visivelmente no último ano. A especulação era que o líder do mundo Mac estaria morrendo, e por isso mandou Phil Schiller como substituto para a abertura do evento.

Em um raro momento de abertura sobre sua vida pessoal, Jobs divulgou uma carta no site da Apple nesta manhã falando sobre seu estado de saúde. Segundo o texto, ele não vai à Macworld não por causa de uma doença, mas porque resolveu, pela primeira vez em 11 anos, passar o fim do ano com a família. Já sobre a perda de peso, ele diz que o motivo é um desequilíbrio hormonal, que vem “roubando” proteínas de seu organismo. O tratamento é simples e já está sendo feito, segundo o CEO, e a perda de peso deve ser revertida até junho.

A Macworld 2009 começa oficialmente nesta terça-feira, 6 de janeiro, às 9 da manhã (horário de San Francisco) ou 3 da tarde (horário de Brasília). Acompanhe toda a cobertura do evento no iG Tecnologia

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , ,
05/01/2009 - 13:27

Credenciamento sem fila

Compartilhe: Twitter

Manhã fria em San Francisco. Acordei às seis para ir cedo ao Moscone South buscar minha credencial para o evento, esperando uma fila. Que nada, eu e Sérgio Miranda (editor da Mac+) chegamos cedo demais e tivemos que esperar alguns minutos até o stand abrir às oito. Como consequência, acabamos sendo os primeiros a retirar nossas credenciais. Miranda foi o “número 1”, eu retirei a minha logo em seguida. Desculpem a cara de sono e a foto de celular:

 

PS: Agradeço a Sérgio Miranda pela foto :)

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , ,
05/01/2009 - 07:00

Os rumores para a MacWorld 2009

Compartilhe: Twitter

Todo ano é a mesma coisa: às vésperas da MacWorld ou WWDC (os dois principais eventos do mundo Apple no ano)  sites especializados se enchem de rumores e especulação sobre novos produtos. E neste ano, mesmo sem a presença de Steve Jobs como palestrante aqui em San Francisco, a coisa não é diferente.

A “keynote” de Phil Schiller, que terá a árdua tarefa de substituir Jobs no palco, só acontece amanhã, mas o burburinho corre solto desde meados de dezembro. Dê uma olhada no que o povo anda esperando:

Novos iMac e Mac mini – Altamente provável. Arquivos de configuração em versões recentes do Mac OS X fazem referência a um MacMini3,1 e iMac9,1, equipados com um processador de video MCP970. É o mesmo chipset de vídeo usado nos novos MacBooks. Os modelos atuais são o MacMini 2,1 e iMac 8,1, equipados com processadores de vídeo da Intel e ATI (Radeon HD 2400 ou 2600 Pro, com exceção do modelo de 24 polegadas com uma GeForce 8800 GS), respectivamente.

A migração de todas as máquinas da Apple para chips de vídeo da nVidia faz todo sentido por causa da introdução, no Snow Leopard, do OpenCL, um framework que programação que permite delegar ao processador de vídeo tarefas numericamente intensivas como compactação de arquivos, criptografia, codificação de áudio e vídeo e muito mais, que são executadas com muito mais rapidez do que se usassem apenas o processador da máquina.

Mas para funcionar, o OpenCL exige alguns recursos não encontrados nos chips atuais, daí a necessidade da migração. A mudança também beneficia a Apple em outros pontos: com ela, todas as suas máquinas serão capazes de reproduzir, sem esforço, os seriados e filmes em alta definição comercializados na iTunes Store, aumentando o potencial de vendas deste tipo de conteúdo.

Além disso, segundo o site TUAW (The Unnofficial Apple Weblog), o Mac mini também sofrerá algumas outras mudanças. Entre elas a substituição da unidade ótica por um modelo SATA, com a opção de trocá-la por um segundo HD na hora da compra na loja online da Apple, e um novo visual, seguindo a linha “alumínio e preto” dos outros modelos da Apple, e mais parecido com o Time Capsule.

iPhone nano – Esse é velho, e ressurgiu em meados de dezembro. Basicamente, seria uma versão menor, mais simples e mais barata do iPhone, assim como o iPod nano é uma versão menor, mais barata e mais simples do iPod “tradicional”. Ganhou força depois que a fabricante de acessórios XSKN colocou em seu site toda uma linha de capas para o produto, que ainda não existe oficialmente. Outro fabricante de acessórios, a Vaja, também adicionou em seu site uma seção sobre o novo aparelho, mas ainda sem nenhum produto.

Vale lembrar que foi um fabricante de acessórios que vazou, em 2007, o formato da terceira geração do iPod nano, e a história se repetiu em 2008. Quando Jobs apresentou a quarta geração do iPod nano à imprensa, em outubro, ele comentou “talvez vocês já tenham visto algo parecido por aí”, em referência às fotos que circularam na internet. Falando em fotos, esta mostra o que seria uma “prova de conceito” do novo iPhone, basicamente uma versão menor do modelo atual.

Um iPhone mais barato faz sentido, mas não sei como ficaria a mecânica da interface multi-toque em uma tela menor. Vou esperar pra ver, e me considerar “agradavelmente surpreso” se algo realmente aparecer.

iWork online – Este rumor começou a circular nos últimos dias de dezembro, e fala sobre o possível lançamento de uma versão online do iWork, o conjunto de aplicativos de escritório da Apple, atualmente composto por editor de textos (Pages), planilha de cálculo (Numbers) e editor de apresentações (Keynote).  Não seria algo inédito: o Google já oferece algo semelhante (Google Docs) bem como empresas como a Zoho com seu trio Zoho Writer, Zoho Sheet e Zoho Show (e vários aplicativos menores).

A própria Apple já deu um passo nesta direção com o seu serviço MobileMe, lançado em meados de 2008 com aplicativos como Mail, Contacts, Calendar e Gallery, que simulam de forma bastante próxima o comportamento de suas contrapartes no desktop: Mail, Agenda, iCal e os  álbuns do iPhoto.

Como a Apple já tem as duas metades da estrutura prontas (o servidor e o “framework” para desenvolvimento dos aplicativos online), a adição de novos serviços/aplicativos seria “fácil”. Considero este um rumor bastante provável, e a MacWorld, com seu foco no consumidor, é o local ideal para um anúncio de um novo iWork. Esperem, se não um lançamento, pelo menos uma demo.

Home Media Server – Faz bastante sentido. Um “servidor” doméstico, plugado diretamente a seu modem ADSL ou roteador Wi-Fi, que abrigaria todo o conteúdo multimídia da casa, sejam fotos, música, filmes ou séries de TV (de preferência comprados na iTunes Store, claro) e os compartilharia com todos os Macs, PCs e iPods/iPhones da casa.

Quem cantou a bola foi o site 9to5mac, que menciona recursos legais como compartilhamento de mídia via web (você poderia acessar seus arquivos de qualquer lugar, com seu domínio próprio) e centralização do backup de todos os Macs da casa (via Time Machine).

O produto poderia ser uma atualização da atual Time Capsule (que centraliza backups e funciona como servidor de arquivos, mas sem a função de compartilhamento de mídia ou acesso remoto) via software, ou um novo aparelho baseado na mesma arquitetura.

Snow Leopard – O próximo “grande gato” da Apple deve receber, no máximo, uma menção “en passant”, ou ser completamente ignorado por Schiller. O motivo? O sistema é focado em mudanças estruturais, com pouca coisa visível aos olhos do usuário, como mostraram alguns screenshots que apareceram recentemente na internet (infelizmente já fora do ar). Não se enganem, o Snow Leopard vai ser uma das mais importantes versões do Mac OS X nos últimos anos, mas ele é um gato “mineiro”: trabalha em silêncio.

Amanhã, durante a Keynote, saberemos o quão precisos estes rumores se mostraram. Eu já estou com minha credencial na mão, e vou madrugar para garantir um bom lugar: a palestra começa às nove da manhã (horário local em San Francisco, 15:00 no Brasil), a organização recomenda chegar às sete, mas eu pretendo entrar na fila às seis. Acompanhe a cobertura completa da MacWorld 2009 no iG Tecnologia e, claro, aqui no blog. Até mais!

Autor: - Categoria(s): evento, noticia Tags: , , , , , , , , , ,
02/12/2008 - 13:02

Novos iPods e MacBooks, agora com preços!

Compartilhe: Twitter

A Apple organizou um pequeno evento com a imprensa hoje pela manhã para falar um pouco sobre a nova linha de iPods (anunciados em setembro, leia também a análise do Nano 4G), sobre os novos MacBooks (anunciados lá fora em outubro), mostrar os brinquedos e anunciar preços.

Vamos começar pelos iPods. O iPod Shuffle de 1 GB sai por R$ 199, e o modelo de 2 GB por R$ 289. O iPod Nano também está disponível em dois modelos, 8 GB por R$ 579 e 16 GB por R$ 769. O iPod Classic, com HD de 120 GB (único remanescente da “linha original” de iPods) sai por R$ 949. Por fim, temos o iPod Touch em três modelos, 8 GB (R$ 949), 16 GB (R$ 1.199) e 32 GB (R$ 1.599).

Já nos MacBooks, temos o novo MacBook (com chassis de alumínio) começando em R$ 5.499 (com Core 2 Duo 2 GHz, 2 GB RAM, HD 160 GB, SuperDrive e iSight) até R$ 6.699 (com as mesmas características, mas HD de 250 GB), ambos com tela de 13.3 polegadas com iluminação LED. Os MacBook Pro com tela de 15.4 polegadas saem por R$ 8.999 (Core 2 Duo 2.4 GHz, 2 GB RAM, HD de 250 GB, 256 MB memória de vídeo e SuperDrive), ou R$ 10.999 (4 GB de RAM, HD de 320 GB, 512 MB de VRAM, idêntico ao anterior no restante).

A Apple está mantendo um modelo de MacBook Pro de 17 polegadas (R$ 12.299), da geração anterior, e também um modelo “antigo” do MacBook branquinho por R$ 2.999. O “novo branquinho” sai por R$ 3.799, com tela de 13.3 polegadas (não LED), Core 2 Duo de 2.1 GHz, 1 GB de RAM HD de 120 GB, SuperDrive e iSight. Definitivamente, com a alta do dólar, os dias de MacBook barato acabaram.

Pessoalmente, os novos MacBooks são lindos, ainda mais lindos que nas fotos e vídeos no site da Apple. Os novos monitores LCD com iluminação LED são excelentes, com brilho homogêneo, cores vibrantes e excelente ângulo de visão. Com a eliminação da lâmpada fluorescente como fonte de luz, a Apple conseguiu fazer uma tela muito mais fina, e a pouca espessura é impressionante.

O trackpad “de vidro” não se parece com vidro, graças à uma textura “entalhada” em sua superfície, e é bem maior que o trackpad de um notebook comum. Simulei até mesmo uma troca de bateria e HD, que não poderia ser mais fácil: basta virar a máquina “de barriga pra cima”, levantar uma trava e tirar uma tampa, e lá estão ambos à sua disposição, é só puxar.

Abaixo, fotos dos novos MacBooks (mais precisamente, um MacBook Pro com tela de 15.4 polegadas). E uma coisa que não se vê todo dia: a “carcaça” de alumínio de um MacBook da geração anterior,  sem os componentes, para dar uma melhor idéia de como as máquinas eram construídas.

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , ,
21/10/2008 - 01:09

Samsung Omnia chega para bater o iPhone

Compartilhe: Twitter

Samsung OmniaiPhone, prepare-se: seu primeiro concorrente à altura está desembarcando no mercado nacional. Rapidamente apelidado de “iPhone com Windows” pelos jornalistas presentes ao lançamento nesta segunda em São Paulo (para desgosto do pessoal da Samsung), o Samsung SGH-i900 Omnia é um smartphone com tela sensível ao toque capaz de fazer a maioria dos truques que o aparelho da Apple faz, só que com hardware mais potente. E, ao contrário de outros modelos que já circulam por aí, faz bom uso da tela sensível ao toque, mostrando que pode competir não só no quesito “força bruta”, mas também no que é mais importante: a “experiência” do usuário e a facilidade de uso.

O que se segue é um breve relato de minha experiência de cerca de meia hora com o aparelho. Não é um review (que deve acontecer em breve, lá no iG), mas apenas um apanhado das “anotações mentais” que fiz durante o uso. Resumindo em uma palavra: gostei.

A lista de recursos é impressionante, com tela sensível ao toque de 3.2 polegadas com resolução “widescreen” de 240 x 400 pixels, câmera de 5 megapixels com flash, gravação de vídeos com resolução VGA, GPS, Wi-Fi, Rádio FM, Bluetooth e 8 GB de memória interna, só para citar apenas alguns no campo do hardware.

Algumas coisas são curiosas: um botão centralizado logo abaixo da tela funciona como um “mouse“. Sim, mouse, com direito a setinha e tudo o mais. O funcionamento é similar aos mouses “trackpoint” dos notebooks Thinkpad. A câmera tem detecção de faces, “geotagging” (marcação das fotos com as coordenadas geográficas do local onde foram tiradas) e um recurso que está se tornando comum em modelos domésticos, o chamado “Smile Shot“: ela dispara automaticamente quando uma pessoa sorri.

O sistema operacional é o Windows Mobile 6.1, adaptado para funcionar melhor em um sistema com tela sensível ao toque. A tela principal, por exemplo, é um desktop com uma lista de widgets na lateral esquerda. Com um movimento dos dedos, é possível arrastar widgets da lista para o desktop (onde eles “crescem” para o tamanho normal) e personalizá-lo a seu gosto com relógios, listas de mensagens, notícias, previsão do tempo, media players e afins. 

Um Opera otimizado para a tela sensível ao toque, substitui o já cansado “Pocket IE” típico dos aparelhos com Windows Mobile no papel de navegador web. A compatibilidade com sites (testei uma meia dúzia) é boa, e ele é capaz dos mesmos truques do Safari no iPhone: dois cliques para “dar zoom” em uma seção da página, passadas com os dedos sobre a tela para rolar a página, mudança automática de modo (retrato ou paisagem) quando o aparelho muda de posição (de pé ou deitado) e tudo o mais.

Durante o uso, o Omnia me pareceu bastante ágil, com uma interface que reage rápida e precisamente aos toques na tela. A Samsung adotou o recurso, já usado por outros fabricantes, de “haptics”, ou seja, uma resposta tátil (no caso, uma vibração do aparelho) usada para confirmar um comando. Por duas vezes, o navegador deixou de rotacionar automaticamente a página quando deitei a tela, talvez porque fiz um movimento suave demais.

Algumas coisas não me pareceram legais. Apesar da interface da Samsung ser boa, a original do Windows Mobile, totalmente inadequada para uso com os dedos, ainda está lá, visível se você fuçar “a fundo” o suficiente nos menus. O teclado virtual tem teclas pequenas demais no modo retrato, e alguns botões, como o X para fechar os programas, são menores ainda. Talvez ciente disto, a Samsung inclui com o Omnia uma caneta, o que pode ser confuso e deixar o usuário sem saber com qual instrumento (dedo ou caneta) interagir.

O Samsung SGH-i900 “Omnia” deve chegar ao mercado nacional em breve, com preço sugerido pelo fabricante (sem subsídios) de R$ 1.799. Espere encontrá-lo em sua operadora favorita (ele estará disponível para todas as operadoras, segundo a Samsung) por um preço menor, e provavelmente bastante competitivo com o aparelho da Apple. Peguem sua pipoca, porque a briga começou :)

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , , , , , , , ,
14/10/2008 - 18:09

Apple fala sobre os novos MacBooks

Compartilhe: Twitter

Após o evento de hoje, quando a Apple anunciou os tão esperados novos MacBooks, tive a oportunidade de conversar durante alguns minutos, por telefone, com Fábio Ribeiro, engenheiro de sistemas da empresa. Aproveitei o papo para esclarecer algumas dúvidas quanto aos novos produtos, e compartilho aqui as respostas:

O novo Apple LED Cinema Display (com tela de 24 polegadas e resolução de 1920×1200 pixels, mais que “Full HD“) foi projetado, essencialmente, como uma “docking station” para os novos portáteis. Um cabo com três conectores (vídeo, USB e alimentação) liga o monitor ao portátil. O monitor tem três portas USB, uma câmera iSight, microfone e caixas de som embutidas. Basta adicionar um teclado e mouse sem fios e você tem um “iMac” instantâneo. Fábio não soube me dizer se os MacBooks podem ser usados com o novo monitor com a tampa fechada. Sei que é estranho, mas até esta manhã isto era um recurso exclusivo dos MacBook Pro. E qual a utilidade? Economizar espaço na mesa, claro.

O MacBook Air ganhou mais espaço em disco (HD de 120 GB ou SSD de 128 GB), processador de vídeo mais potente (NVIDIA GeForce 9400M), mas não tem o novo trackpad de vidro. Entretanto, deve-se mencionar que o Air já tem, desde o primeiro modelo, um trackpad com recursos parecidos: maior que o “normal” e capaz de reconhecer múltiplos toques (como nos novos modelos). Só falta o “glamour” do vidro mesmo.

Peso: graças ao processo de produção batizado de Unibody, em que o gabinete é literalmente “esculpido” a partir de um bloco de alumínio, os novos MacBooks são mais leves que a geração anterior, 200 gramas mais leves para ser exato. Também são mais finos, com apenas 2.4 cm de espessura. Falando no Unibody, a Apple tem em seu site um vídeo muito interessante detalhando o processo, da entrada dos gigantescos linguotes de alumínio na máquina aos toques finais no gabinete, feitos a laser. Imperdível.

Tanto os MacBook quanto os MacBook Pro tem um novo conector para ligação a monitores externos, uma versão miniaturizada do padrão DisplayPort. Ele tem “banda” suficiente para controlar até mesmo os monitores de 30 polegadas da Apple, coisa impossível numa conexão HDMI, por exemplo. E como ligar um MacBook com DisplayPort a um monitor mais antigo? Com adaptadores, claro. A Apple vende, separadamente, adaptadores de Mini-DisplayPort para VGA ou DVI. Outras empresas podem oferecer adaptadores para conexão a equipamentos com entrada HDMI (como TVs de alta definição).

Para quem reclama da bateria não removível no iPhone (oi, chamou?): trocar a bateria nos novos MacBook e MacBook Pro é fácil, basta pressionar algumas travas na parte de baixo e levantar uma tampa. De quebra, você tem acesso fácil ao HD logo ao lado, e com mais dois parafusos acesso aos pentes de memória. Com isso, ficou muito mais fácil fazer um upgrade nas máquinas.

Infelizmente, a Apple não soube informar quando estas máquinas chegam ao Brasil, nem o preço que será praticado aqui. A julgar pelo que aconteceu no passado, distribuidoras como a GreenMax devem trazer os novos modelos para cá antes da Apple Brasil. Vou ficar de olho.

Autor: - Categoria(s): evento, hardware, noticia Tags: , , , , ,
Voltar ao topo