Publicidade

Publicidade

03/11/2009 - 18:55

Motorola DROID chega ao Brasil com novo nome

Compartilhe: Twitter

Motorola MILESTONENão demorou quase nada: o Motorola DROID, primeiro smartphone Android 2.0 a chegar ao mercado, foi anunciado nos EUA no último dia 29 e já está oficialmente a caminho do Brasil. Por aqui o aparelho vai se chamar Motorola MILESTONE (porque a mania de mudar nomes?), e chega pela TIM com início das vendas previsto para “até o final do ano”, acompanhado de “pacotes de dados para que os clientes possam explorar ao máximo todos os recursos disponíveis no aparelho”. Preço, para variar, não foi divulgado.

Os principais destaques do MILESTONE (Motorola, me desculpe, mas DROID soa melhor) são a tela de 3.7 polegadas e resolução de 480 × 854 pixels (maior que a do iPhone em todos os sentidos) e teclado QWERTY integrado, sem sacrificar o design ou o tamanho: com 13,7 mm de espessura, ele é apenas 1,5 mm mais grosso que o iPhone 3GS. A câmera de 5 MP com flash é a melhor entre os smartphones Android no mercado, e o processador ARM Cortex A8 (o mesmo do Nokia N900, iPhone 3GS e Palm Pre) de 600 MHz garante o desempenho.

Os reviews iniciais do aparelho são muito positivos, com o blog Gizmodo dizendo: “se você não comprar um iPhone, compre um Droid”. Lá nos EUA ele é uma exclusividade da Verizon, concorrente da “dona do iPhone”, a AT&T, e custará US$ 199 com um plano de fidelidade de dois anos. O MILESTONE será o segundo smartphone Android da Motorola no Brasil. O outro é o Motorola DEXT, conhecido no exterior como CLIQ

Mais informações sobre o aparelho podem ser encontradas no site oficial, em www.motorola-rm.com/bra/milestone

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , ,
22/10/2009 - 15:56

Samsung mostra nova linha de celulares

Compartilhe: Twitter

A Samsung apresentou na manhã desta quinta-feira uma nova linha de telefones celulares, com modelos em todas as categorias, para os mais variados tipos de usuários. Uma das principais atrações foi o Pixon 12, equipado com uma poderosa câmera digital de 12 MP, a maior resolução entre os celulares com câmera disponíveis no Brasil.

O aparelho é baseado no mesmo processador de 800 Mhz do Samsung Jét, que garante o desempenho. Tem lente grande-angular de 28mm acompanhada por Flash Xenon, grava vídeos com resolução de DVD (720 x 480 pixels) e tem tela AMOLED (com melhor cor e contraste em relação às telas LCD convencionais) de 3.1 polegadas sensível ao toque. A interface é a TouchWiz, a mesma usada em outros modelos da Samsung como o Star, o Jét e o Omnia. Vem em kit que acompanha capa de couro, fones de ouvido e cartão microSD de 8 GB, com preço sugerido de R$ 1.899

Smartphones para todos os gostos

A linha de smartphones é composta por quatro modelos. Dois deles (Galaxy e Galaxy Lite) são baseados no sistema operacional Android, do Google. Os outros dois, o Omnia II e Omnia Pro, rodam o Windows Mobile.

O Galaxy já havia sido anunciado em setembro, mas o Galaxy Lite é novidade. Com um novo design mais atraente, com detalhes em vermelho, ele troca a câmera de 5MP com flash e auto-foco e os 8 GB de memória interna do seu irmão mais velho por uma câmera de 3MP sem flash e foco fixo e 200 MB de memória interna, expansível com cartões microSD.

Em compensação, ganha no processador mais veloz, de 800 MHz contra os 567 MHz do Galaxy. No resto ambos são idênticos, equipados com tela sensível ao toque de 3.2 polegadas, Wi-Fi, Bluetooth e 3G, e rodam o sistema operacional Android 1.5 com a interface original do Google. O Samsung Galaxy já está nas lojas, com preço sugerido de R$ 1.799, e o Galaxy Lite chega em Novembro, com preço sugerido de R$ 999.

O mundo Windows Mobile é representado pelo Omnia II, um “Windows Phone” com tela sensível ao toque de 3.7 polegadas, câmera de 5 MP, Bluetooth, Wi-Fi, GPS e 8 GB de memória interna, rodando o Windows Mobile 6.5. Já o Omnia Pro é bem diferente de seus irmãos, e é o primeiro modelo da família Omnia com teclado QWERTY integrado, e tem a aparência de um BlackBerry ou Nokia ESeries, com o teclado logo abaixo da tela. Tem câmera de 3.2 MP, tela de 2.4 polegadas, memória expansível com cartões microSD (um cartão de 1 GB acompanha o aparelho). Tem Wi-Fi e Bluetooth, mas não tem GPS, e roda o Windows Mobile 6.1. Os preços sugeridos pelo fabricante são de R$ 1.599 pelo Omnia II, e R$ 799 pelo Omnia Pro.

Bateria solar

O Solar e o Blue Earth são os dois modelos da Samsung no segmento de aparelhos com bateria recarregável usando energia solar. O Solar é um modelo básico, mas o Blue Earth é bem mais interessante, com uma tela sensível ao toque de 3 polegadas, câmera de 3 MP, GPS, compatibilidade com redes 3G e Wi-Fi, com a mesma interface gráfica “TouchWiz” de aparelhos como o Jet e o Star. O aparelho também tem alguns aplicativos “ecológicos”, como um pedômetro que, nas palavras da Samsung, “incentiva o usuário a andar e mostra o quanto a emissão de CO2 é reduzida ao não usar os meios de transporte convencionais”.

A recarga da bateria é simples: na traseira do aparelho há um painel solar. Cada 1 hora sob a luz do sol rende energia suficiente para deixar o aparelho por duas horas em “stand-by”, ou para 15 minutos de conversação. Usando apenas a luz do sol é possível recarregar a bateria interna a até 75% de sua capacidade, ou seja, a energia solar é um complemento, não um substituto, para um carregador de tomada. O Blue Earth tem preço sugerido de R$ 949

Mensageiros de bolso

O Samsung Scrappy, celular com teclado QWERTY voltado para o público jovem e louco por mensagens, ganhou dois irmãos. O Scrappy 2 tem uma tela maior (2 polegadas), câmera melhor (2 MP) e memória expansível com cartões microSD de até 8 GB (um cartão de 1 GB acompanha o aparelho). Vem com software que permite conexão a diversas redes sociais, incluindo Facebook e MySpace, e sistemas de mensagens instantâneas como o MSN e Google Talk. O teclado numérico é estranho, disposto em uma “faixa” ao lado do monitor, e o teclado QWERTY (deslizante como no modelo anterior) parece bastante confortável. Deve custar R$ 499

Já o Scrappy Touch, como o nome diz, tem além do teclado QWERTY uma tela sensível ao toque e no geral recursos similares aos do Scrappy 2, com algumas pequenas mudanças como a capacidade de fazer fotos panorâmicas. Também vem em kit com cabo de dados, fones de ouvido e cartão de memória de 1 GB, por R$ 549,00

Autor: - Categoria(s): evento, hardware, noticia Tags: , , , , , , ,
14/10/2009 - 12:46

LG e Huawei também tem Android

Compartilhe: Twitter

O Motorola DEXT não é o único smartphone Android a aparecer na Futurecom 2009. Andando pelos corredores da feira, me deparei com mais dois modelos: o LG GW620 é o primeiro smartphone Android da empresa, e tem uma tela sensível ao toque de 3 polegadas, com teclado QWERTY “deslizante” como no modelo da Motorola, formato que está se tornando “padrão” entre os aparelhos com o sistema do Google.

Como convém a um smartphone “top”, ele vem equipado com câmera de 5 MP, memória expansível a até 32 GB, Wi-Fi e GPS. O sistema operacional é o Android “puro”, sem customizações de interface como a HTC fez com o Magic, nem ferramentas de rede social como a Motorola fez com o DEXT. Pra variar, ninguém diz nada quanto ao preço.

Já o modelo da chinesa Huawei lembra bastante o HTC Magic, com tela sensível ao toque mas sem teclado. Entre os poucos detalhes que consegui descobrir estão a câmera de 3.2 MP com autofoco, memória expansível a 32 GB, Wi-Fi e GPS. A data de lançamento, segundo representantes da empresa no stand, é “início de 2010”, e a empresa espera atingir um preço entre R$ 1.099 e R$ 1.199, sem subsídios da operadora. Se isto se concretizar, será o Android mais barato, até o momento, no mercado nacional.

Vejam algumas fotos dos aparelhos

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , ,
14/10/2009 - 09:25

Motorola traz DEXT ao Brasil

Compartilhe: Twitter

A Motorola anunciou durante a primeira manhã da Futurecom 2009 que trará ao Brasil o Motorola DEXT, seu primeiro smartphone baseado no sistema operacional Android, do Google. Anunciado nos EUA (onde é conhecido como Cliq) em setembro, o aparelho chega às lojas de todo o Brasil “na terceira semana de novembro”, mas a partir de hoje interessados em adquirí-lo já podem fazer um “pré-cadastro” no site do fabricante.

Motorola DEXT

O DEXT é um smartphone com teclado QWERTY integrado, tela de 3.1 polegadas sensível ao toque, câmera de 5 MP, GPS, Wi-Fi, 3G e memória expansível a até 32 GB com cartões microSD. Mas o hardware é secundário, e a principal estrela do aparelho é o software. Como disse anteriormente:

O sistema operacional é o Android, do Google (versão 1.5), integrado com uma “plataforma social” desenvolvida pela própria Motorola batizada de MOTOBLUR. A idéia é integrar informações sobre seus contatos em múltiplas redes sociais em um único ponto, para que você possa acompanhar “de relance” tudo o que acontece.

Suponha que um amigo telefone para você: na tela surgem a foto dele, número do telefone e último “status” publicado em uma rede social. Ao responder a uma mensagem, você pode escolher por onde quer que a resposta seja enviada: e-mail, SMS, MMS, Twitter, Facebook, etc.

Na agenda, as informações de contato de uma pessoa são agrupadas com todo o seu histórico de conversas com ela. Aplicativos como o “Happenings” mostram tudo o que acontece com seus amigos em um único local, e o “Social Status” permite que você atualize seu perfil em várias redes sociais de uma vez só.

Tudo isso é integrado a uma solução de backup, que armazena informações de login, conversas e listas de contatos em um servidor seguro da própria Motorola. Se você perder o telefone, ou mudar de aparelho, pode restaurar facilmente o backup com apenas alguns cliques. O serviço também faz uso do GPS para localizar aparelhos perdidos ou roubados, mostrando sua posição em um mapa, como no iPhone.

O aspecto social do MOTOBLUR é importante no Brasil, onde segundo pesquisas recentes 80% dos usuários de internet usam uma rede social, contra 66% da média mundial.

O sistema de “pré-cadastro” para compra é curioso: não se trata de uma pré-venda, mas apenas de uma espécie de “declaração de intenção de compra”, o equivalente a dizer “Motorola, eu quero um DEXT”. Mais tarde, o usuário será contactado pela operadora que irá comercializar o aparelho no Brasil (a Claro, com exclusividade até oinício de 2010) com uma proposta de venda mais formal.

A idéia por trás da ação é clara: gerar expectativa (hype), dando ao aparelho um ar de “produto da moda/exclusivo” e “compre já antes que acabe” como aconteceu quando o iPhone chegou ao Brasil.

O que os usuários que fizerem o “pré-cadastro” não vão saber é o preço, que ainda não foi divulgado. Haverá várias opções, atreladas a diferentes pacotes de minutos e planos de dados como no iPhone, mas os detalhes ainda não foram definidos. Segundo João Cox, presidente da Claro, o preço estará “no patamar do iPhone” e o aparelho também será oferecido “desbloqueado”, sem subsídios.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , ,
17/09/2009 - 16:19

Samsung também traz Android

Compartilhe: Twitter

Samsung Galaxy i7500Smartphones Android são que nem ônibus. Demoram a chegar, mas quando vem chegam todos juntos. Ou pelo menos essa é a impressão que tenho daqui da minha mesa. Mal terminou a coletiva da HTC para o anúncio do Magic e recebo um press-release da Samsung anunciando o Samsung Galaxy i7500, o “primeiro smartphone Android do Brasil”.

Perai, como assim primeiro? A HTC não anunciou antes? Anunciou, mas o critério da Samsung é a chegada nas lojas: o Galaxy estará à venda na semana que vem, e o Magic só chega na segunda semana de outubro. A HTC promete, mas a Samsung entrega. Sim, o mercado e tecnologia é bastante concorrido.

O Galaxy tem algumas semelhanças com o Magic: ambos são smartphones GSM/3G com telas sensíveis ao toque (3.1 polegadas no Magic, 3.2 polegadas no Galaxy, diferença nula na prática) e câmera de 5 MP, com Wi-Fi (802.11 b/g) e GPS. Nenhum deles tem um teclado físico. Mas o Galaxy leva vantagem na tela AMOLED, tecnologia que oferece qualidade de imagem muito superior à tela TFT do Magic, e no espaço interno: são 8 GB de memória, expansível com cartões microSD.

O Galaxy tem outra coisa que o Magic não tem: o preço sugerido pelo fabricante, que é de R$ 1.799. Mais barato que concorrentes como o Nokia N97 (R$ 2.399). Não há informações sobre operadoras, o que geralmente significa que ele estará disponível em todas elas.  Já pedi minha unidade para review, e assim que puser as mãos nele conto as novidades.

E acabei de saber: a TIM irá vender os dois aparelhos, mas não define datas. Preços e condições serão informados no início das vendas.

Autor: - Categoria(s): hardware, noticia Tags: , , , , ,
17/09/2009 - 10:32

HTC Magic chega ao Brasil

Compartilhe: Twitter

HTC MagicDemorou, mas finalmente o primeiro smartphone equipado com o sistema operacional Android, do Google, está chegando ao Brasil. O HTC Magic é um smartphone GSM/3G com tela sensível ao toque de 3.2 polegadas, câmera de 3.1 MP, memória expansível com cartões microSD, Wi-Fi (802.11 b/g) e GPS.

Ao contrário de seu antecessor, o HTC G1 (que não saiu no Brasil) e de outros aparelhos Android como o recém anunciado Motorola CLIQ, ele não tem um teclado QWERTY integrado. A digitação de texto é feita através de um teclado virtual. O GPS é acompanhado de uma bússola digital, recurso útil que permite orientar mapas (como no Google Maps) na direção em que o usuário está olhando. O processador Qualcomm de 528 MHz garante o desempenho.

O Magic brasileiro tem a interface gráfica Sense (ausente no modelo disponível no exterior), desenvolvida pela própria HTC, que facilita o uso do aparelho e tem com base conceitos como Make it Mine (Personalização), Stay Close (proximidade através da comunicação) e Discover the Unexpected (descobrir novas oportunidades de entretenimento).

É possível criar “perfis” de interface, que podem ser associados a diferentes momentos de sua vida. Por exemplo, um perfil com a agenda do trabalho na tela principal para usar durante a semana, e um com a previsão do tempo e um media player para o fim de semana. Usando o GPS integrado, o Magic é capaz de se adaptar ao local onde está: a previsão do tempo e relógio, por exemplo, se ajustam automaticamente.

A integração com redes sociais também é um destaque, mostrando na lista de contatos, por exemplo, as últimas mensagens de seus amigos no Facebook, atividade mais recente no Flickr e eventos (como aniversários), além de nome e telefone. Tal integração pode ser global, ou definida por contato. Outro exemplo é a integração do álbum de fotos do aparelho com serviços online como o Flickr ou Picasa.

Falando em imagens, um conceito interessante são os “footprints” (pegadas), imagens combinadas a informações do GPS e descrições do usuário, que o ajudam a se lembrar de uma experiência agradável. Por exemplo, se o usuário criar um “footprint” da Torre Eiffel, em Paris, sempre que voltar à cidade será lembrado daquele momento.

O navegador tem suporte a gestos (como “pinçar” para zoom, deslizar os dedos para rolar a página) e suporte a animações e vídeos em Flash, tecnologia cada vez mais comum na web e ausente em aparelhos como o iPhone, da Apple.

Segundo a HTC, o Magic chega às lojas do país na segunda semana de outubro, em todas as principais operadoras e no varejo. O preço não foi divulgado (apesar da insistência dos jornalistas presentes ao evento de lançamento).

No exterior a HTC comercializa quatro aparelhos Android: o HTC G1 (o primeiro modelo a chegar ao mercado), Magic (também chamado de “G2”), Hero e o recém anunciado Tattoo, um modelo de baixo custo. Não há previsão para a chegada destes outros modelos ao Brasil.

Autor: - Categoria(s): evento, hardware, noticia Tags: , , , , ,
Voltar ao topo